Tech

Pipedrive muda de escritório em Lisboa em junho

Pipedrive vai ocupar espaço com 1200 quadrados. Fotografia: Sara Matos / Global Imagens
Pipedrive vai ocupar espaço com 1200 quadrados. Fotografia: Sara Matos / Global Imagens

Capital portuguesa "é uma cidade bonita, tem um tempo fantástico e as pessoas têm uma mentalidade aberta", diz um dos fundadores da Pipedrive

A Pipedrive escolheu o Atrium Saldanha, em Lisboa, para abrir o escritório em Portugal. É num espaço com 1200 metros quadrados que a empresa da Estónia especialista em software de gestão de relação de clientes (CRM) vai acolher um total de 100 trabalhadores até final de 2018. As mudanças começam já em junho, adianta ao Dinheiro Vivo um dos fundadores da Pipedrive, Martin Henk.

“Vamos mudar-nos para um espaço temporário daqui a cerca de um mês. A construção do escritório permanente começa em setembro. Vai ter 1200 metros quadrados. O Atrium Saldanha foi a nossa única opção para este espaço. Para encontrar algo com boas acessibilidades, serviços e localização e ter tudo num andar desta dimensão foi um desafio”, refere Martin Henk em respostas enviadas por correio eletrónico.

Enquanto não começa a mudança, a Pipedrive tem 15 pessoas a trabalhar no Second Home, o espaço de cowork do Mercado da Ribeira, também em Lisboa. Martin Henk recorda que Lisboa “tem uma localização estratégica” e vai servir sobretudo para especialistas em software e apoio a clientes.

A empresa da Estónia está a contratar para as funções de suporte interno de IT, especialista em soluções para clientes, gestor de conta, full stack developer, front end developer e back end developer. As candidaturas podem ser feitas através desta página. Até ao final do ano, a tecnológica vai contar com 50 pessoas; até final de 2018, a equipa deverá duplicar.

A Pipedrive quer ficar no Atrium Saldanha “no longo prazo” e o próprio Martin Henk vai mudar-se para Portugal: “Em breve, vou mudar-me para Lisboa com a minha família”. O estónio justifica que Lisboa “é uma cidade bonita, tem um tempo fantástico e as pessoas têm uma mentalidade aberta”. Além disso, tem “bons talentos técnicos, falantes de português (Brasil é um dos maiores mercados) e inglês e uma boa diferença horária entre Nova Iorque e Tallin (onde ficam os outros escritórios”.

Com uma equipa de 270 pessoas, 50 mil clientes pagos e 30 milhões de euros em financiamento, a empresa da Estónia diz-se “bem equipada para continuar a crescer em todos os mercados. O foco é e continuará a ser a melhoria do produto e a disponibilização de novas ferramentas para ajudar as pequenas e médias empresas a venderem mais e serem mais produtivos”.

Criada em 2010, a Pipedrive diz que não vai ficar por aqui e pode ter novas localizações. “Isso poderá acontecer com a abertura de mais escritórios num futuro próximo para outras funções”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

fotografia: Luís Costa Carvalho

Corticeira Amorim investe oito milhões e inaugura nova fábrica nos EUA

António Mexia lidera a EDP desde 2005

António Mexia, CEO da EDP, ganhou 6.000 euros por dia em 2018

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Pipedrive muda de escritório em Lisboa em junho