Consumo

Portal da Queixa. Os mais reclamados em 2018 são…

compras

Meo e Segurança Social são os mais reclamados no Portal da Queixa. O ano passado o portal recebeu cerca de 90 mil queixas

O ano passado os portugueses fizeram em média 250 reclamações por dia no Portal da Queixa, elevando para cerca de 90 mil o número de queixas apresentados pelos consumidores contra marcas ou entidades públicas. Destas, 70% receberam resposta das entidades reclamadas. O Meo, CTT e NOS foram as marcas mais reclamadas. A Segurança Social, Centro Nacional de Pensões e Serviço Nacional de Saúde são as entidades públicas que mais originaram reclamações.

Com mais de 300 mil utilizadores registados, o portal regista 1 milhão de visitas por mês, realizando uma média de 250 reclamações diárias, segundo os dados facultados pelo Portal. Aproximadamente 70% das reclamações recebidas e aprovadas no Portal da Queixa em 2018 receberam resposta.

O Meo foi a marca mais reclamada o ano passado, com 5220 queixas; seguida dos CTT (com 4178). Ambas as empresas respondem a todas as queixas apresentadas pelos consumidores, estando entre as entidades que mais respondem aos consumidores no Portal da Queixa.

O Portal da Queixa destaca o volume de queixas recebido pelo operador postal o ano passado. “A partir de junho, foi verificado um aumento significativo do número de reclamações dirigidas à empresa de correio postal e expresso, e todas tinham um fator em comum: eram encomendas provenientes da China e enviadas pelo método Yanwen. Segundo os consumidores reportaram ao Portal da Queixa, estas encomendas chegavam a Portugal, mas nunca aos destinatários, o que gerou bastantes reclamações na plataforma, alegando extravio e falta de solução por parte dos CTT”, destaca o Portal da Queixa.

Com 2747 queixas, a NOS foi a terceira marca mais reclamada. Um resultado para o qual deverá ter contado com o contributo do tarifário WTF. “Desde o início de 2018, até ao mês de novembro, o número de reclamações registou uma subida de 62%, face a igual período do ano passado. Um dos principais motivos de reclamação apresentado pelos consumidores, desde agosto, está relacionado com o incumprimento do que é garantido pelo tarifário escolhido”, destaca o Portal da Queixa.

No sector privado, o Portal da Queixa destaca os crescimentos de reclamações registados no Turismo. “Nos primeiros cinco meses de 2018, houve um aumento de 78% no setor do turismo. Das companhias aéreas, a marca que mais se destacou foi a TAP com um aumento de 125% face ao período homólogo de 2017”, refere o portal. A transportadora área é a 12ª marca mais reclamada o ano passado, com 609 reclamações com origem, sobretudo, em situações de cancelamentos de voos/overbooking; atrasos nos voos; reembolso do valor dos voos perdidos; bagagem (perda, danos).

Entidades públicas mais reclamadas

Nas entidades públicas, o TOP 3 das entidades mais reclamadas é composto pela Segurança Social (1802), seguida do Centro Nacional de Pensões (613) e Serviço Nacional de Saúde (555).

As queixas dirigidas às câmaras municipais registaram um aumento na ordem dos 71% no Portal. “Um facto que demonstra a preocupação crescente dos munícipes com o local onde vivem e que revela que os cidadãos estão, cada vez mais, zelosos dos seus direitos”, justifica o Portal. Câmara Municipal de Lisboa, Câmara Municipal de Oeiras e Câmara Municipal do Porto surgem no Top 12 das entidades públicas mais reclamadas. O estado das vias e infraestruturas, limpeza, barulho, iluminação e outros problemas presentes dentro das localidades estão na origem das queixas.

Quem menos responde às queixas?

Cerca de 70% das queixas recebem uma resposta da parte da marca ou entidade pública alvo da reclamação. A Segurança Social, TAP e CP são as três entidades que menos responderam às reclamações feitas pelos consumidores no Portal da Queixa.

Das 1802 queixas apresentadas no Portal sobre a Segurança Social, 1564 ficaram sem resposta. Na TAP 584 reclamações, de um total de 609 ficaram por responder, e na CP – que viu no primeiro semestre do ano passado o volume de reclamações aumentar 83% – das 589 queixas registadas, 575 ficaram por responder. Atrasos e as supressões de comboios (identificados pela CP como problemas relacionados com a circulação), o engano no preço do bilhete e a falta de condições estão na origem das queixas.

Pela positiva, destaque para o Meo e os CTT que, apesar de estarem entre as marcas mais reclamadas, “dão resposta a todas as reclamações apresentadas pelos seus clientes no Portal da Queixa”.

A EDP Comercial também apresenta uma das melhores taxas de solução (96.6); Continente e a Worten são também bons exemplos, com taxas de solução acima dos 70.

A nível público, IMT e a Câmara Municipal de Lisboa destacaram-se pela positiva ao nível da resposta, com índices de satisfação acima dos 80. “O IEFP – Instituto do Emprego e Formação Profissional, é a entidade que mais se destaca com uma taxa de solução de 98 em 100”, refere o Portal da Queixa.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Défice externo até julho agrava-se para 1633 milhões de euros

TVI

Compra da TVI pela Cofina deverá ter luz verde dos reguladores

Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens

Exportações de calçado crescem 45% para a China e 17% para os EUA

Outros conteúdos GMG
Portal da Queixa. Os mais reclamados em 2018 são…