Correio expresso

Portal da Queixa: Reclamações de correio expresso disparam 212% em 2 meses

Correios entram em bolsa a 5 de dezembro

As reclamações relativas a serviços de empresas de correio expresso apresentadas no Portal da Queixa dispararam 212%

As reclamações relativas a serviços de empresas de correio expresso apresentadas no Portal da Queixa dispararam 212% entre o dia 1 de outubro deste ano e esta quinta-feira face a igual período de 2016.

“Este volume de 2.165 reclamações em apenas 2 meses e meio, deve-se na sua grande maioria ao atraso na entrega das encomendas, a falta de apoio ao cliente, entregas falhadas, dificuldades de contacto e a entrega danificada”, informou o Portal da Queixa em comunicado.

“Só nos primeiros 14 dias de dezembro, já foram recebidas mais de 500 reclamações sendo que um dos problemas proeminentes é o estado das encomendas dos consumidores, nomeadamente a possibilidade de não ser entregue a tempo para o Natal, do extravio ou até mesma pela retenção na Alfândega de Lisboa”, adiantou.

Os CTT lideram nas queixas, com 964 reclamações apresentadas naquele período, seguida da GLS com 257 reclamações e da Chronopost com 173 queixas apresentadas.

O facto de cada vez mais consumidores aderirem às compras na Internet é um dos motivos para este aumento das reclamações, segundo Pedro Lourenço, fundados e presidente-executivo do Portal de Queixa, bem como o facto de as empresas de correio expresso não estarem preparadas para a subida das compras online.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
coronavirus lay-off trabalho emprego desemprego

Empresas com quebras de 25% vão poder pedir apoio à retoma

Balcão da ADSE na Praça de Londres em Lisboa.

( Jorge Amaral/Global Imagens )

ADSE quer 56 milhões do Orçamento do Estado por gastos com isentos

Fotografia: Miguel Pereira / Global Imagens

Quase 42 mil empresas recorreram a apoios que substituíram lay-off simplificado

Portal da Queixa: Reclamações de correio expresso disparam 212% em 2 meses