estudo

Porto é a cidade portuguesa favorita para franchisings

Porto.

Invicta bate a capital e Faro no que toca à primeira escolha dos empresários e empreendedores do setor para expandirem o seu negócio.

Na altura de escolher onde expandir uma rede de franchising em Portugal, a cidade do Porto aparenta ser o melhor sítio para o fazer. A Invicta é o distrito do país que os empreendedores e empresários de franchising consideram prioritário para a expansão das suas redes, reunindo 6,7% das preferências. Seguem-se Lisboa e Faro, com 6,4% e 6,1%, respetivamente.

Esta é uma das conclusões do 22.º Censo do Franchising, realizado pelo Grupo IFE (International Faculty for Executives) em parceria com o ISCTE, que diz, em comunicado, que “o Porto sempre foi economicamente mais representativo do que a capital. É o setor dos serviços que mais espaço tem ganho na Área Metropolitana do Porto (AMP), concentrando quase metade do emprego e 59% do volume de negócios da região, com a AMP a representar 15% da balança comercial nacional”.

No mesmo estudo ficou também comprovada a expansão do setor: em 2016, o franchising representou 2,79% do PIB nacional, com um volume de negócios de 5,2 mil milhões de euros e 117.450 postos de emprego, que correspondem a 2,55% do emprego em Portugal. No mesmo ano nasceram operavam ainda 574 marcas, mais 36 do que em 2015.

Entre as diferentes vertentes do setor, a dos serviços continua a ser a mais abrangente, representando 57,3% dos conceitos. “O segundo setor mais representado é o Comércio com 29,4%, tendo subido 0,24%, revelando uma tendência de crescimento que acompanha a evolução a que se tem assistido nesta área de negócios no contexto económico nacional. Apurou-se também um crescimento de 1,24% no setor da restauração, ao qual pertence 13,2% dos negócios em franquia”, informa o Grupo IFE.

No que toca ao investimento, são as apostas mais cautelosas que predominam: Cerca de 47% do investimento total foi de negócios que rondam os 25 mil euros. No entanto, o escalão que mais cresceu foi do investimento entre os 50 100 mil euros, que passou de 12,6% em 2015 para 17,7% em 2016.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: Tiago Melo

Crédito chega às famílias mas nunca foi tão baixo para as empresas

Francisco de Lacerda, CEO dos CTT

Especuladores têm aposta de 35 milhões na queda das ações dos CTT

Foto: DR

Luta pelos cargos de topo do BCE aquece. Espanha favorita no primeiro round

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Porto é a cidade portuguesa favorita para franchisings