Tecnologia

Responsável da Lime: “Lisboa é um exemplo para o mundo”

Paloma Lime

Responsável de comunicação da Lime, Paloma Castro Martinez, falou connosco sobre como Lisboa tem sido exemplo para o mundo

Chama-se Paloma Castro Martinez e é uma gestora espanhola que tem feito toda a sua carreira fora de Espanha. Depois de passagem por várias marcas de luxo, chegou em julho de 2018 à Lime para liderar a comunicação da startup de trotinetes (que quer ser muito mais do que isso) que tem investimento da Google e da Uber.

“Já estamos em 96 cidades em todo o mundo e em todas temos um modelo local adaptado, em que a empresa se torna sempre local”, explica Paloma. Só na Europa já estão em mais de 30 cidades e é no Velho Continente que têm o mercado “que evolui mais rapidamente”. “Desde o primeiro dia que as pessoas cá têm noção que o centro das cidades deve ser mais humano e as pessoas devem interagir com as cidades de forma mais sustentável”, diz-nos a espanhola sobre o facto das trotinetes usadas serem elétricas e reduziram o uso do automóvel nas pequenas viagens citadinas.

Sobre Portugal, em sete meses de operação já superaram o “milhão de viagens feitas”. “Isso mostra-nos que estamos a ter grande sucesso”.

Leia também | Caen Contee: Lime testa descontos, realidade aumentada e quer ter carros voadores

Os últimos meses têm sido de grandes melhorias, com a empresa a melhorar em fases muito relevantes inclusive para o negócio. “Reciclamos mais do que nunca e conseguimos aproveitar quase tudo em trotinetes danificadas. Além disso as nossas trotinetes têm um tempo de vida bem maior do que os outros rivais, pode chegar a vários meses”. A explicação está relacionada com o controlo da “cadeira de produção das trotinetes”. “Quem faz as nossas só faz para nós e com os nossos critérios”, adianta.

A nível europeu, sente que são hoje mais do que uma novidade: “as autoridades a nível europeu olham para nós como algo que veio para ficar e procuram agora encontrar estabilidade neste mercado”.

Atualmente estão na Nova Zelândia, Singapura, no México e na América do Sul estão a abrir agora no Brasil, em São Paulo. Isto além da Europa e dos EUA. “Temos tido muito sucesso em todos estes países”, diz.

Unlock, preço baixo e novo conceito

A abertura recente em Coimbra “está a correr muito bem” e “as autoridades estão satisfeitas”, explica a responsável que avança que querem seguir para outras cidades portuguesas, como o Porto, “mas faltam os regulamentos para finalizar tudo”.

Sobre Lisboa “é um bom exemplo de como decorre a interação com as autoridades”. “Temos tido uma boa relação a encontrar boas soluções para que o estacionamento seja apropriado, com os mais de 400 hotspots, daí que estejamos a levar as soluções usadas em Lisboa para outras partes do mundo”.

Recentemente o preço do desbloqueio das trotinetes passou de 1 euro para 50 cêntimos, um desconto de 50% que é permanente “e serve para que todos possam aderir ao movimento das trotinetes”, até porque o nível de vida em Portugal é diferente do de cidades dos EUA, por exemplo.

O Unlock Portugal vai também permitir descobrir as cidades portuguesas com iniciativas que vão envolver artistas e músicos locais em eventos que devem ser anunciados em breve. A ideia passa por mostrar como “cada Lime é local, daquela cidade”. Além disso, “queremos evidenciar o espírito português.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

Ministro das Finanças, Mário Centeno, na Católica Porto Business School. Fotografia:  Igor Martins / Global Imagens

Mário Centeno quer mais exigência nos benefícios fiscais

Outros conteúdos GMG
Responsável da Lime: “Lisboa é um exemplo para o mundo”