Portugal com cinco cotadas entre as maiores empresas do mundo

Entre as cinco empresas portuguesas, apenas Jerónimo Martins e BPI ganham posições

Tal como em 2016, basta uma mão cheia para contar as cotadas portuguesas entre as duas mil maiores empresas do mundo. EDP, Jerónimo Martins, Galp Energia, BPI e BCP repetem a presença no ranking elaborado pela revista Forbes. Só que quase todas perderam posições em comparação com a lista do ano passado.

A EDP ocupa o lugar 488 e é a melhor representante portuguesa. A elétrica portuguesa liderada por António Mexia perde 51 posições face a 2016 mas continua a reunir a maior combinação entre receitas, lucros, ativos e capitalização bolsista, os quatro critérios usados pela publicação norte-americana na elaboração do ranking.

A Jerónimo Martins é a única empresa portuguesa que sobe posições. Entra no top-1000 e encontra-se no lugar 940. Está a ganhar posições há dois anos consecutivos, depois ter ficado no lugar 1229 em 2015 e na posição 1089 em 2016.

A Galp Energia baixou para o lugar 1118. A empresa liderada por Carlos Gomes da Silva chegou a ocupar a posição 1033 em 2016 e 1039 em 2015.

BPI e BCP são os únicos representantes da banca nacional e trocaram posições face a 2016. O BPI, agora detido pelo CaixaBank, está no lugar 1536; em 2016, encontrava-se na posição 1712. O BCP, liderado por Nuno Amado, voltou a perder posições e baixou do posto 1524 para o posto 1623.

Entre as empresas internacionais, destaque para a Vinci, a dona da ANA – Aeroportos, que ocupa a posição 162, tal como em 2016. No caso das empresas chinesas presentes em Portugal, a Fosun, dona da Fidelidade, ocupa o lugar 448. Apesar de ter perdido 14 lugares face à lista anterior, ultrapassou a Haitong, que comprou o antigo BESI, e que está no está no lugar 510; em 2016, estava no posto 510.

Chineses lideram

Tal como em 2016, o Industrial and Commercial Bank of China e o China Construction Bank estão nos dois primeiros lugares desta lista da Forbes. No terceiro posto está a Berkshire Hathaway, a holding de Warren Buffett, que fecha o pódio de 2017. Seguem-se o JPMorgan e o Wells Fargo, ambos norte-americanos, a fechar o top-5.

A Forbes diz que as duas mil maiores empresas cotadas do mundo viram a sua capitalização bolsista aumentar 10% face a 2016, para os 48,8 biliões de dólares (43,5 biliões de euros). As empresas chinesas e norte-americanas representam mais de 40% da lista, apesar de as duas maiores economias do mundo terem desacelerado em 2016.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de