obras públicas

Portugal com menos obras públicas em 2018 após dois anos de recuperação

Construção

Contratos celebrados e contratos promovidos caíram em 2018, de acordo com a Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas.

Após dois anos de recuperação, os contratos e de concursos de obras públicas voltaram às quebras em 2018. A descida foi mais acentuada nos valores acumulados de concursos públicos promovidos do que no valor dos contratos celebrados, segundo os dados divulgados esta segunda-feira pela AICCOPN -Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas.

O volume total de concursos de empreitadas de obras públicas caiu 11% para 2,633 mil milhões de euros, interrompendo um período de subidas de três anos. Em todos os meses de 2018, registaram-se menos concursos públicos promovidos em Diário da República, segundo esta associação.

Também se registou uma quebra, embora menos acentuada, no total de contratos celebrados, que diminuíram 4% em 2018, para 1,933 mil milhões de euros. Os concursos públicos representaram mais de dois terços dos contratos celebrados de empreitadas de obras públicas no ano passado.

Evolução dos contratos de Obras Públicas em Portugal

As quebras nas obras públicas têm sido contrariadas com o aumento de licenças para construção e reabilitação de habitações, que subiram 19,7% até setembro, segundo a AICCOPN.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Samsung Fold

Samsung lança o smartphone dobrável Fold por 2 mil euros

O presidente dos CTT, Francisco de Lacerda, durante a apresentação dos resultados de 2018 da empresa, na sede dos CTT em Lisboa, 20 de fevereiro de 2019. JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Lucros dos CTT recuam 28% para 19,6 milhões

O presidente dos CTT, Francisco de Lacerda, durante a apresentação dos resultados de 2018 da empresa, na sede dos CTT em Lisboa, 20 de fevereiro de 2019. JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Lucros dos CTT recuam 28% para 19,6 milhões

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Portugal com menos obras públicas em 2018 após dois anos de recuperação