Turismo

Portugal é o 10º país onde o Airbnb tem maior impacto económico

airbnb5

Poupança gerada pelos alojamentos permite gastar mais em comércio, restauração ou cultura, mostra um inquérito divulgado esta segunda-feira

No ano passado, os estabelecimentos ligados ao Airbnb receberam 3,4 milhões de turistas. Foram mais 30% do que um ano antes, o que permitiu elevar para 2000 milhões de euros o impacto económico gerado com esta plataforma em Portugal.

A nível global, o impacto do Airbnb foi de quase 86 mil milhões de euros, mostra um inquérito divulgado esta segunda-feira. Pelas contas da empresa, Portugal é já o décimo país do mundo com um maior impacto económico, numa lista liderada pelos Estados Unidos, França, Espanha e Itália. O gasto médio feito por hóspede em Portugal é de 115 euros.

A plataforma já está presente em 191 países. Desde que nasceu, em 2008, a empresa estima que os anfitriões tenham recebido mais de 57 mil milhões de euros, o que permitiu fazer “face às despesas com as suas próprias habitações, lançar novos negócios ou dedicar-se às suas paixões”.

O inquérito do Airbnb relativo a 2018 mostra que em Portugal 17% dos rendimentos serve para ajudar a pagar o empréstimo da casa e 23% para despesas com o lar. Mas melhorias na habitação (19%); Gastos extra (8%); Poupança (6%); Férias (7%) ou Educação (3%) também são alguns dos destinos destes rendimentos.

“As receitas como anfitrião representam 24% do total do rendimento obtido na casa do anfitrião”, refere a empresa, lembrando que 84% dos anfitriões é proprietário da casa que disponibiliza na plataforma e que, em média, moram no mesmo bairro há 27 anos.

Quanto aos hóspedes que mais procuram os alojamentos locais anunciados no Airbnb, os dados mais recentes mostram que 56% viajam em família 52% admite que a poupança gerada com o alojamento lhes permite gastar mais em comércio, bares, restaurantes, entretenimento ou cultura.

A grande parte (84%) assume que a localização deste tipo de alojamento é mais conveniente do que a dos hotéis, o que pesa no momento da escolha. Além disso, estes hóspedes afirmam que ficaram uma média de 5,1 dias a mais num destino ao eleger a Airbnb.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Alberto Souto de Miranda
(Gerardo Santos / Global Imagens)

Governo. “Participar no capital” dos CTT é via “em aberto”

Congresso APDC

“Temos um responsável da regulação que não regula”

Congresso APDC

Governo. Banda larga deve fazer parte do serviço universal

Outros conteúdos GMG
Portugal é o 10º país onde o Airbnb tem maior impacto económico