Igualdade de Género

Portugal é o país com mais oportunidades para as mulheres na tecnologia

(DR)
(DR)

O sexo feminino, no entanto, ainda está pouco representado nesta indústria em Portugal: as mulheres ocupam apenas 16,08% dos empregos.

Portugal é considerado o país que dá mais oportunidades às mulheres na área da tecnologia. A conclusão é da edição de 2018 do índice “Women in Tech“, publicado na quarta-feira pela plataforma de empregos Honeypot, e que cruza a percentagem de mulheres nesta área, com a as diferenças nos salários para os homens.

O país registou vários progressos na igualdade de género nos últimos anos. Portugal regista a melhor diferença entre os salários da tecnologia e dos restantes sectores, com 7,26%. Nesta área, há uma diferença de 11,10% nos salários por género; em geral, os homens costumam ganhar mais 18,36% do que as mulheres. Os resultados para Portugal só não são melhores porque em 2010 a discrepância salarial entre homens e mulheres foi de 13,13%.

Este estudo é elaborado com 41 países da OCDE e da União Europeia, instituições que produzem anualmente dados sobre o emprego e os salários.

Leia aqui: Apenas 6% de startups são lideradas por mulheres

Cada mulher que trabalha na área tecnológica recebe, em média, 27 996 euros, o que compara com o salário médio de 31 491 euros para os funcionários do sexo masculino desta área.

O sexo feminino, no entanto, ainda está pouco representado nesta indústria em Portugal: as mulheres ocupam apenas 16,08% dos empregos; na Bulgária, o género feminino já fica com 30,28% destes postos de trabalho.

A falta de representação das mulheres leva Emma Tracey, cofundadora da Honeypot, a deixar um recado: “esperemos que este estudo enriqueça o diálogo sobre a igualdade na indústria e inspire mais mulheres a procurarem oportunidades na indústria”. A mesma responsável lembra um estudo da McKinsey: “a igualdade de género pode adicionar 12 biliões de dólares ao produto interno bruto global até 2025”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: João Manuel Ribeiro/Global Imagens

Número de desempregados é o mais baixo dos últimos 28 anos

Fotografia: João Manuel Ribeiro/Global Imagens

Número de desempregados é o mais baixo dos últimos 28 anos

O antigo ministro das Finanças, Teixeira dos Santos ouvido na II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco. Assembleia da República, Lisboa, 19 de junho de 2019. MIGUEL A. LOPES/LUSA

As razões de Teixeira dos Santos – e aquilo que nunca soube

Outros conteúdos GMG
Portugal é o país com mais oportunidades para as mulheres na tecnologia