Turismo

Portugal vende-se aos turistas chineses com nova página no Alibaba

Portugal está na China representado por Luís Araújo (à esquerda) e Ana Mendes Godinho (ao centro)
Portugal está na China representado por Luís Araújo (à esquerda) e Ana Mendes Godinho (ao centro)

Em visita oficial à China, a secretária de Estado do Turismo e o presidente do Turismo de Portugal, tentam captar mais turistas chineses para Portugal

Portugal vai ter novo destaque na China. Esta terça-feira, o Turismo de Portugal assinou um protocolo com a Fliggy, a plataforma de viagens do gigante Alibaba, que dá novo destaque ao destino nacional.

A assinatura deste protocolo abre assim as portas do país aos 200 milhões de utilizadores registados no portal, naquele que já é o maior emissor de turistas de todo o mundo – e um dos que tem maior potencial de crescimento.

Portugal tem visto o número de turistas chineses aumentar ao longo dos últimos anos. Em 2013 eram apenas 76 mil; no ano passado foram contabilizados 183 mil turistas chineses em Portugal – mais 19% do que no ano anterior.

Com a nova rota direta da HNA quase a chegar a Lisboa, o governo e o Turismo de Portugal foram à China para divulgar diretamente as potencialidades de Portugal como destino privilegiado para visitar mas também para investir, viver, estudar e filmar.

Ana Mendes Godinho, secretária de Estado do Turismo, que também foi inaugurar o novo centro de vistos de Hangzhou, lembra que “a emissão recíproca de turistas tanto de Portugal como de todo o mercado da língua portuguesa vai permitir que haja maior conhecimento de cada um dos países, o que é também extremamente positivo para o aumento dos fluxos comerciais entre os dois países”.

Mas há trabalho a fazer, destaca Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal. “O que temos de trabalhar agora, em conjunto com estes operadores turísticos, é como chegamos ao consumidor final. Este é um mercado potencial gigante mas que nós queremos segmentar. Interessa-nos sobretudo alcançar os clientes, os turistas que mais gastam, mas também os que têm potencial para investir, para se mudar para o nosso país, para abrir uma empresa, ou para deslocalizar uma empresa para Portugal”, afirmou.

Em 2015, os turistas chineses deixaram em Portugal 641 euros em compras, um registo que supera o de todos os outros visitantes não europeus. A Global Blue, que gere operações tax free, coloca-os como a terceira nacionalidade mais importante no que toca ao turismo de compras e a tendência tem vindo a aumentar, com os gastos a centrarem-se especialmente em marcas de segmento alto e muito alto.

O mercado é, por isso, estratégico para os próximos dez anos do Turismo em Portugal, especialmente agora que a HNA vai abrir uma nova rota aérea entre os dois países. O voo triangular, que sai de Hangzhou com destino a Lisboa passa também em Pequim, e terá até quatro frequências semanais. A rota inicia-se em julho deste ano.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lear Corporation

Há mais de 800 mil portugueses a trabalhar por turnos

Alexandra Leitão, ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública. (António Pedro Santos / Lusa)

Governo vai reservar verba para financiar pré-reformas no Estado

Rui

“Se Rui Rio ganhar as eleições do PSD este Governo dura quatro anos”

Outros conteúdos GMG
Portugal vende-se aos turistas chineses com nova página no Alibaba