Portuguesa Frulact vendida aos donos da 2ª maior rede de autoestradas nacionais

Empresa da Maia tem nove fábricas em três continentes e dá emprego a 750 trabalhadores. Valor da venda não é conhecido.

A portuguesa Frulact foi vendida ao fundo francês Ardian, os donos da Ascendi, que detém a segunda maior rede de autoestradas nacionais e é candidata à compra da Brisa. A Frulact é um dos maiores fabricantes mundiais de preparados à base de fruta para a indústria alimentar, com nove fábricas em três continentes. O valor da operação não foi revelado.

"Estamos muito satisfeitos com este acordo e parceria, uma vez que a Ardian trará recursos financeiros e estratégicos consideráveis para impulsionar a Frulact a tornar-se uma plataforma forte, que irá agregar e integrar outros negócios contíguos na indústria dos ingredientes de valor acrescentado e, consequentemente, consolidar o projeto Frulact, apoiado no nosso capital humano, permitindo que a empresa explore uma pegada global sustentável", garante João Miranda, o presidente e até há pouco acionista maioritário do grupo sediado na Maia. Miranda mantém-se como chairman e Duarte Faria, até aqui CFO, assume como CEO.

Fundada há mais de 30 anos pela família Miranda, a Frulact tem neste momento nove fábricas em cinco países (Portugal, Marrocos, França, África do Sul e Canadá), produzindo preparados de fruta e vegetais para laticínios, gelados, sobremesas, bebidas, aromatizantes e ingredientes alternativos à base de plantas, dos quais 97,5% da produção segue para o mercado externo, vendendo os seus produtos em mais de 40 países. Com mais de 750 trabalhadores, o grupo tem uma faturação de cerca 115 milhões de euros. É considerada uma das cinco maiores empresas mundiais no seu segmento de negócio.

"A nossa experiência a apoiar empresas na entrada em novos territórios, combinada com o nosso conhecimento e respeito pela tradição e valores das empresas familiares tornam a Ardian num parceiro ideal para este tipo de operações", defendeu Philippe Poletti, líder da Ardian França, citado em comunicado.

Em Portugal, o fundo francês Ardian é dono da Ascendi, a segunda maior rede de autoestradas em Portugal (Grande Lisboa, Grande Porto, concessão Norte, Costa da Prata, Beiras Litoral e Alta, Interior Norte e Pinhal Interior), a seguir à Brisa, com 850 quilómetros ao longo de sete vias com portagem. É um dos candidatos à compra de 80% do capital da Brisa.

Com origem no universo Axa, o fundo gere ativos no valor de cerca 86,2 mil milhões de euros na Europa, América e Ásia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de