Tecnologia

Portugueses gastam 890 milhões em telemóveis. Modelos são cada vez mais caros

Samsung
(Jung Yeon-je/AFP)

O preço médio por telemóvel subiu dos 328 para os 341 euros. Só a partir de 2021 é que se espera um aumento nas vendas de telemóveis.

Os portugueses compraram menos telemóveis pelo quarto ano consecutivo mas voltaram a gastar mais dinheiro por cada modelo. Em 2019, foram gastos 890 milhões de euros em telemóveis, segundo os dados divulgados pela consultora IDC, adianta esta terça-feira o jornal Correio da Manhã. Foram vendidos 2,5 milhões de telemóveis, uma redução de 7,4% face a 2018.

O preço médio por telemóvel subiu dos 328 para os 341 euros. A Apple foi a marca mais cara, com um preço médio por aparelho de 806 euros, e foi a marca que mais vendeu no último trimestre do ano, que inclui o Natal.

A Samsung, no entanto, foi a marca que mais vendeu telemóveis em Portugal, com uma quota de mercado de 31,8%. A Huawei ficou na segunda posição, com 28,9%. A Apple posicionou-se no terceiro lugar, com 12,5%.

Só a partir de 2021 é que se espera um aumento nas vendas de telemóveis. O consultor da IDC Francisco Jerónimo, citado pelo mesmo jornal, acredita que haverá “um novo salto nas vendas mas apenas dentro de um ano e meio”, por causa do ciclo de renovação dos aparelhos

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

1400 empresas já pediram para aderir ao novo lay-off, apoios só a 28 de abril

Algarve, Portugal. Fotografia: D.R.

Algarve lança campanha. “Fiquem em casa para regressarem com mais saudade”

Veículos da GNR durante uma operação stop de sensibilização para o cumprimento do dever geral de isolamento, na Autoestrada A1 nas portagens dos Carvalhos/Grijó no sentido Sul/Norte, Vila Nova de Gaia, 29 de março de 2020. MANUEL FERNANDO ARAÚJO/LUSA

Mais de 80 detidos e 1565 estabelecimentos fechados

Portugueses gastam 890 milhões em telemóveis. Modelos são cada vez mais caros