Portugueses já podem carregar o PayPal através do Multibanco

A empresa espera que o lançamento destes novos serviços ajude a aumentar o número de utilizadores da PayPal em Portugal. Atualmente são 700 mil.

A partir desta terça-feira, os utilizadores portugueses do PayPal têm novas opções para utilização do sistema de pagamentos: podem fazer um carregamento através do Multibanco ou podem associar a conta PayPal diretamente à conta bancária. "Para nós o cliente é o rei com o lançamento destes novos serviços. (...) É importante pois o Multibanco tem a expressão que todos sabemos", referiu Miguel Fernandes, diretor de negócios da PayPal Portugal.

Para fazer o carregamento da sua conta PayPal através do Multibanco, o utilizador terá primeiro de aceder à versão web do site para saber qual a referência que depois vai usar. Ainda não é possível aceder à referência através da aplicação móvel, mas a empresa garante que está a trabalhar para disponibilizar esta funcionalidade. Depois de feito o carregamento, bastam alguns segundos para que o saldo fique disponível.

Já para poder associar a conta bancária, vai haver pelo meio um processo de verificação. Na prática o PayPal vai fazer dois créditos mínimos - de três e sete cêntimos, por exemplo - na conta do cliente. Estes valores vão depois ser a chave de verificação que será preciso usar nas definições do PayPal. A associação da conta bancária deverá demorar entre um a dois dias, e a partir daí basta fazer pagamentos com o PayPal que depois o valor dessa compra é debitado da conta do utilizador.

"Traz a possibilidade de os consumidores portugueses poderem pagar com o Multibanco em Portugal e em mais de 19 milhões de comércios em todo o mundo. Estamos a derrubar barreiras para que os portugueses possam pagar com toda a simplicidade e segurança em todo o mundo. O cliente PayPal acaba por ter a maior escolha de meios de pagamentos possível dentro de uma só carteira", salientou Miguel Fernandes.

A PayPal explicou que a funcionalidade que está relacionada com o Multibanco, é possível graças a um parceiro que trabalha com um banco em Portugal - não foram revelados os nomes nem do parceiro, nem do banco em questão.

Com a chegada destes novos serviços chega um terceiro: a PayPal passa a ter o seu motor de risco também ativo para os consumidores portugueses. Este motor usa informação histórica dos utilizadores para traçar uma espécie de 'classificação PayPal' - esta classificação ajuda depois a empresa a validar ou não algumas transações.

Por exemplo, se o consumidor 'Pedro' fizer uma compra de dez mil euros no PayPal por via direta da conta bancária, essa transação pode ser rejeitada se o perfil de risco for demasiado elevado. "Não detalhamos as regras", disse Miguel Fernandes a propósito da forma como o perfil é traçado. "Aquilo que sabemos é se um cliente se tem portado bem nos últimos dez anos no PayPal. Há aqui muitas regras que são criadas e diluídas pelo nosso departamento de risco", defendeu.

Atualmente o PayPal tem 700 mil utilizadores em Portugal e "dezenas de milhares" de comerciantes na sua plataforma.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de