Greve dos motoristas

Postos prioritários da REPA podem exigir indemnização

A greve dos motoristas de matérias perigosas entrou numa nova escalada. Foto: Tiago Petinga/Lusa
A greve dos motoristas de matérias perigosas entrou numa nova escalada. Foto: Tiago Petinga/Lusa

Há postos que admitem ter quebras "substanciais" nas vendas

Os 54 postos da Rede Estratégica de Postos de Abastecimento (REPA) prioritários podem pedir uma indemnização ao Estado pela perda de receitas e custos extraordinários que resultarem da sua afetação exclusiva ao abastecimento de veículos para transporte de doentes e de forças de segurança portuguesas, entre outros prioritários.

O ministro do Ambiente, Matos Fernandes, admitiu ontem que essa compensação está enquadrada na lei, mas duvida que “alguém a venha reclamar”.

Segundo o Jornal de Negócios, responsáveis por esses postos admitem que as quebras nas vendas são “substanciais” e que foram necessários reajustes no pessoal para que assegurar o abastecimento permanente.

Os 54 postos são Galp, mas segundo a petrolífera apenas uma dezena é explorada diretamente pela Galp.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
(Orlando Almeida / Global Imagens)

Metro de Lisboa investe 114 milhões em novos comboios e sinalização

Pedro Nuno Santos, ministro das Infraestruturas. (Fotografia: Global Imagens)

Governo confirma que está a estudar juntar aeroporto civil à base de Monte Real

Foto: D.R.

“Efeitos definitivos”. Isabel dos Santos sai da Efacec

Postos prioritários da REPA podem exigir indemnização