streaming

Preço das músicas abre guerra entre Youtube e editoras

Pharrell Williams
Pharrell Williams

Casa da Google paga sete vezes menos do que os rivais Apple e Spotify

Longe vão os tempos em que os CD’s enchiam os cofres dos músicos e das editoras discográficas. Hoje, o streaming é o grande aliado desta indústria. Mas numa altura em que o público se habituou a ouvir música online, editoras e músicos dão a cara para apontar o dedo a quem paga menos: o Youtube, noticia o Washington Post.

O site de vídeos da Google é o principal player do mercado e responde já por 25% da música ouvida em streaming em todo o mundo, bem à frente de concorrentes como o Spotify, Amazon ou Apple. No entanto é o que menos paga pelos conteúdos oferecidos.

Artistas como Pharrell Williams ou a banca Arcade Fire são alguns exemplos de personalidades que vieram a público denunciar que a receita obtida com as suas músicas no Youtube está muito aquém dos valores pagos, por exemplo, pelo concorrente Spotify – sete vezes menos, em média.

É que o Youtube paga, em média, um dólar por cada mil vezes que uma canção é tocada. Por sua vez, o Spotify e a Apple oferecem sete dólares.

As editoras explicam a diferença com uma brecha legal que a casa da Google estará a aproveitar. A lei norte-americana permite que o Youtube não se responsabilize pelas músicas que os utilizadores toquem no seu site, mesmo que sejam colocadas à margem dos direitos das editoras.

“No fundo, estamos a negociar com alguém que vai ter acesso àquele conteúdo seja de que forma for”, considerou uma editora ao jornal norte-americano.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: Tiago Melo

Crédito chega às famílias mas nunca foi tão baixo para as empresas

Francisco de Lacerda, CEO dos CTT

Especuladores têm aposta de 35 milhões na queda das ações dos CTT

Foto: DR

Luta pelos cargos de topo do BCE aquece. Espanha favorita no primeiro round

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Preço das músicas abre guerra entre Youtube e editoras