Presidente da CM Lisboa critica valor "absurdo" para táxi no aeroporto

"20 euros é um valor absurdo" para um táxi que parte do aeroporto de Lisboa. Este é o primeiro comentário oficial do Presidente da Câmara de Lisboa à proposta das associações de taxistas para as bandeiradas a partir da zona das chegadas. Fernando Medina, no entanto, é a favor da criação de uma tarifa única.

"Seria vantajoso termos uma tarifa única. Tem de ser um valor adequado ao investimento que as empresas terão de fazer para melhorar os equipamentos e proporcional à operação dos táxis na cidade", defendeu Fernando Medina esta quinta-feira em entrevista à rádio Antena1. O Presidente da Câmara de Lisboa lembra que a autarquia "não tem responsabilidade" sobre o acordo.

Medina justifica também a criação de uma tarifa única para que se possa "melhorar o funcionamento das praças de táxis". A medida visa ainda haver uma maior "limpeza dos táxis e uma maior transparência do tarifário".

O autarca esclarece ainda que a comissão de um euro que a ANA deverá receber por serviço servirá apenas para financiar "as obras necessárias no aeroporto de Lisboa". Medina exclui qualquer relação com a taxa turísticapaga em 2015 pela gestora dos aeroportos nacionais à autarquia

A posição do autarca de Lisboa corresponde à defendida pelo Turismo de Lisboa na semana passada. "O que está em causa é uma questão de montante e não a solução", indicou fonte oficial da entidade questionada pelo Dinheiro Vivo. "A solução de haver um preço fixo, desde que acompanhada de uma melhoria significativa do serviço assegurada com autoridade, é aceitável e praticada noutros destinos", justifica.

O Turismo de Lisboa, que foi consultado no âmbito dos trabalhados preparatórios para a renegociação das tarifas dos táxis, indica mesmo que foram ponderados outros valores: tarifa mínima de 15 euros ou um suplemento de 4,5 euros face à tarifa normal. Preços que foram considerados "exagerados", acrescenta a mesma fonte.

A Associação Nacional de Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL) propôs uma bandeirada mínima de 20 euros para serviços que partam do Aeroporto da Portela, dando direito a um percurso de 14,8 quilómetros, como foi avançado pelo Dinheiro Vivo. Uma viagem entre o Aeroporto e o Marquês de Pombal, por exemplo, poderá custar 20 euros, apesar de a distância ser de 7,8 quilómetros.

A bandeirada mínima de 10 euros nos dias e vésperas de Natal e Ano Novo foi outra das propostas apresentadas por esta associação, segundo o jornal Correio da Manhã.

Em declarações à agência Lusa, o secretário de Estado Leonardo Mathias explicou que o regime jurídico do setor, de 1998, estabelece que os preços dos táxis são definidos por convenção negociada anualmente entre a DGAE e as associações do setor, a ANTRAL e a Federação Portuguesa do Táxi (FPT).

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de