Primark quer toda a roupa feita de materiais recicláveis até 2030

Retalhista irlandesa vai aumentar os recipientes de recolha de roupa nas lojas, vai dar dicas para prolongar a vida útil do guarda-roupa e informação sobre costura e lavagem das peças.

A Primark anunciou esta quarta-feira o reforço da sua estratégia de sustentabilidade para dez anos, destinada a reduzir o desperdício no setor da moda, diminuir para metade as emissões de carbono na sua cadeia de valor e melhorar as condições de vida das pessoas que produzem os seus produtos.

Designada "Primark Cares", o plano prevê que até 2030 toda a roupa vendida pela cadeia seja produzida com fibras recicláveis ou de origem sustentável. Atualmente, avança a empresa em comunicado, isso acontece com 25% dos artigos vendidos.

Um objetivo a mais curto prazo é que todas a T-shirts básicas sejam fabricadas com algodão de origem sustentável já no próximo ano.

Para conseguir atingir estas metas, a cadeia de vestuário irlandesa diz que vai fazer mudanças no processo de design para garantir que as roupas possam ser recicladas quando deixarem de ser usadas.

Além disso, promete aumentar a durabilidade das suas roupas, estando a trabalhar para isso com a WRAP, uma organização sem fins lucrativos britânica empenhada em acelerar a transição da indústria da moda para a circularidade.

A Primark compromete-se também a reduzir para metade as emissões de carbono da sua cadeia de valor, trabalhando em conjunto com os seus fornecedoras. Eliminará também todos os plásticos de uso único nas suas lojas, depois de ter já retirado "mais de 500 milhões de itens".

No âmbito do programa "algodão sustentável" que já tem em curso, "vai dar formação aos agricultores para utilizarem mais práticas agrícolas regenerativas, de forma mais sustentável, usando menos quantidade de água e menos produtos químicos. Esta formação será feita através da sua parceria com a CottonConnect, usando o Código de Algodão Regenerativo, líder na indústria, para aumentar a biodiversidade, adaptar-se às mudanças climáticas e melhorar os meios de subsistência dos agricultores", avança a empresa.

A cadeia promete também "melhorar as condições de vida das pessoas que produzem as roupas, proporcionando um salário justo para os trabalhadores da sua cadeia de fornecimento e investindo em programas de formação que proporcionem melhores oportunidades para as mulheres".

Paul Marchant, CEO da Primark, assegura que vai manter os preços baixos: "Este é um capítulo novo e empolgante na história da Primark. A nossa ambição é oferecer aos clientes os preços acessíveis pelos quais eles nos conhecem e adoram, mas com produtos feitos de uma forma que seja mais favorável para o planeta e para as pessoas que os produzem".

Nas suas 397 lojas, em 14 países, algumas em Portugal, a Primark avança que vai lançar a campanha "How Change Looks". "Isso também irá tornar mais fácil aos clientes fazerem parte desta mudança com iniciativas que vão desde aumentar os recipientes de reciclagem para recolher e reciclar roupas que já não são usadas, a educar os consumidores sobre técnicas para prolongar a vida útil do seu guarda-roupa - incluindo conhecimentos de costura e dicas de lavagem".

Nelson Ribeiro, Head of Sales da Primark Portugal, considera que "as mudanças trazidas por estes novos compromissos vão ser muito bem recebidas pelos nossos clientes em Portugal. As pessoas querem sentir que fazem escolhas acertadas, sustentáveis e com durabilidade, e que isso lhes está acessível! Uma escolha sustentável não tem de ser cara e é fantástico podermos fazer parte de um processo de mudança para melhor".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de