Agricultura

Produtores de pera rocha querem exportar 100 milhões até 2019

Pera_rocha

Associação Nacional de Produtores de Pera Rocha vai investir na promoção deste fruto em cinco mercados externos considerados estratégicos

A Associação Nacional de Produtores de Pera Rocha (ANP) quer alcançar os 100 milhões de euros de exportações até 2019, valor que representa uma subida de 21% face às atuais vendas deste fruto apenas produzido em Portugal. A associação vai investir, com recurso a fundos comunitários, mais de 430 mil euros na promoção deste fruto na Alemanha, França, Reino Unido, Brasil e Espanha, definidos como mercados estratégicos de exportação.

O primeiro passo vai ser dado entre 19 a 28 de janeiro, altura em que a ANP vai marcar presença na Semana Verde de Berlim, uma das mais importantes feiras internacionais dedicadas à alimentação e agricultura, que junta anualmente mais de 1600 empresas e organizações de todo o mundo.

O objetivo é aumentar a visibilidade deste produto fora de Portugal, que até novembro do ano passado, exportou 82,4 milhões de euros, mais 19% do que em relação a 2016. Brasil, Reino Unido, França, Alemanha e Marrocos são os principais destinos da Pera Rocha, absorvendo 81% do valor das exportações. A Alemanha tem vindo a ganhar peso, tendo até novembro do ano passado gerado 8,2 milhões de euros, um crescimento de 90%.

O Projeto de Promoção Global da Pera Rocha nos Mercados Externos da ANP é cofinanciado pelo Compete 2020, no âmbito do Programa Operacional Competitividade e Internacionalização. Prevê um investimento global de 430.902 euros, financiado em 85% pelo FEDER – Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e inclui a realização de ações de promoção e comunicação.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O presidente do Novo Banco, António Ramalho, conversa com Teresa Leal Coelho (ausente da foto), presidente da Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa, durante a audição na Assembleia da República, Lisboa, 21 de março de 2019.  ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Ramalho: “DG Comp não tem particular simpatia pelos bancos portugueses”

António Tomás Correia, presidente da Associação Mutualista Montepio Geral

( Gustavo Bom / Global Imagens )

ASF inicia processo de avaliação da idoneidade de Tomás Correia

Rodrigo Costa, CEO da REN Fotografia: MÁRIO CRUZ/LUSA

Rodrigo Costa: “Já pagámos 127,5 milhões” de CESE

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Produtores de pera rocha querem exportar 100 milhões até 2019