Programa de investimentos para 2030 vale mais de metade do resgate da troika

PNI2030 conta com perto de 43 mil milhões de euros em investimentos para lançar ao longo desta década. Privados representam metade do valor.

O programa de investimentos de Portugal para executar até 2030 (PNI2030) vai valer mais de metade do montante emprestado pela troika ao país em 2011. Até ao final desta década, serão utilizados 42,88 mil milhões de euros em infraestruturas, mobilidade e ambiente e ainda em projetos de regadio. A versão final do PNI2030 foi apresentada esta quinta-feira no auditório do LNEC - Laboratório Nacional de Engenharia Civil, em Lisboa.

Aos transportes e à mobilidade cabem metade do investimento, no valor de 21,66 mil milhões de euros. Neste domínio, os privados vão financiar apenas 3,966 mil milhões de euros, sobretudo para as estradas e os portos.

O domínio dos transportes contempla, por exemplo, a construção de uma nova linha ferroviária entre Lisboa e Porto, a eletrificação da restante rede ferroviário nacional e a conclusão do IP8 (Sines-Beja) são as principais obras nesta área.

O ambiente e a ação climática vão ficar com 20,478 mil milhões de euros para apostar em sustentabilidade ambiental e transição energética. Perto de metade do investimento no ambiente terá financiamento privado, no montante de 7,8 mil milhões de euros. O investimento no ambiente inclui a gestão de efluentes, florestas, recursos marinhos e proteção do litoral.

O PNI2030 conta ainda com um total de 750 milhões de euros para a agricultura, para projetos de aumento e revitalização do regadio.

A versão final deste programa de investimentos foi apresentada praticamente dois anos depois do lançamento da versão inicial do PNI2030, em janeiro de 2030.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de