aviação

Projeto da NAV Portugal distinguido em conferência global

Controladores de tráfego aéreo do aeroporto de Lisboa.
 
(Gerardo Santos / Global Imagens)
Controladores de tráfego aéreo do aeroporto de Lisboa. (Gerardo Santos / Global Imagens)

Áustria, Hungria, Geórgia, Bulgária e Qatar já mostraram interesse no projeto MARIA.

O projeto Model of ATM Reality in Action (MARIA), desenvolvido pela NAV Portugal, foi distinguido pela organização que reúne os prestadores de serviços de navegação aérea (ANSP) – CANSO -, como um dos oito que no último ano mais contribuíram para reduzir os riscos associados à aviação. A distinção ocorreu durante a CANSO Global ATM Safety Conference, entre 4 e 7 de novembro em Paris

O MARIA começou a ser desenhado em 2012 com o objetivo de compilar e sistematizar a informação de todo o sistema de gestão de tráfego aéreo, “incluindo não só as funções sob direta responsabilidade da NAV como de elementos da restante comunidade com os quais um ANSP interage”, adianta a NAV em nota de imprensa.

O modelo documenta assim as interdependências entre funções, fluxos de informação, recursos e procedimentos de diferentes áreas, além dos regulamentos nacionais e internacionais aplicáveis.

“O MARIA permite avaliar os impactos que alterações técnicas, operacionais ou processuais numa dada área têm nas restantes, permitindo logo numa fase inicial a contenção dos efeitos indesejados, melhorando a eficácia das avaliações de segurança”, nota a NAV.

Além desta distinção, a NAV revela que o MARIA já tinha suscitado o interesse de várias congéneres internacionais, sendo reconhecido e apoiado pelo Eurocontrol, usado na Torre de Controlo de Hamburgo e suscitado visitas e pedidos de informação por parte da Áustria, Hungria, Geórgia, Bulgária ou Qatar.

A responsável pela prestação de serviços de navegação aérea no espaço aéreo português indica que o modelo está disponível para partilhar e apoiar a sua implementação noutros ANSP.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Foto: Paulo Spranger (Global/Imagens)

Fisco deteta erro em 10.000 declarações de IRS e exige devolução de 3,5 milhões

Foto: Paulo Spranger (Global/Imagens)

Fisco deteta erro em 10.000 declarações de IRS e exige devolução de 3,5 milhões

João Cadete de Matos, presidente da Anacom

Fotografia: Vítor Gordo/D.R.

Anacom “considera essencial” redução de preços no acesso à Internet

Outros conteúdos GMG
Projeto da NAV Portugal distinguido em conferência global