transportes

Prolongamento da rede de metro vai reduzir tempo de espera

( Vítor Rios / Global Imagens )
( Vítor Rios / Global Imagens )

O estudo ao prolongamento da rede de metro de Lisboa entre o Rato e o Cais do Sodré conclui que o projeto vai melhorar a oferta

O Estudo de Impacte Ambiental ao prolongamento da rede de metro de Lisboa entre o Rato e o Cais do Sodré conclui que o projeto vai melhorar a oferta daquela transporte público, reduzindo o tempo de espera.

Segundo noticia hoje o Negócios, o documento, que vai estar consulta pública até 22 de agosto, refere que os tempos médios de espera “irão ser inferiores em todos os casos, exceto na linha vermelha, no período de ponta da manhã”.

“A redução do tempo de espera “pode chegar no período de ponta da manhã aos 53 segundos e no corpo do dia a um minuto e 27 segundos (o que equivale a um terço do tempo atual)”, refere o jornal, citando o estudo.

Na linha verde circular, os tempos de percurso entre as estações já existentes “irão reduzir um pouco, dado que o comboio irá circular com uma velocidade máxima de 60 km/hora, em vez da atual velocidade de 45 km/hora”, acrescenta.

O Negócios escreve ainda que o intervalo entre comboios a circular na futura linha será de 3 minutos e 50 segundos, “dimensionado de acordo com a carga estimada para o troço mais carregado da rede, Entrecampos-Campo Pequeno, no período de ponta da manhã, em vez de 5 minutos e segundos na linha que faz parte deste troço”, explica o Estudo de Impacte Ambiental (EIA).

“Também o intervalo estimado ente comboios na linha azul, com o acréscimo estimado de procura na rede, “reduzirá de 5 minutos e 45 segundos para 4 minutos, n período de ponta da manhã”, escreve o Negócios.

Já na linha vermelha, “haverá uma pequena redução do intervalo entre comboios no corpo do dia”, acrescenta.

Na futura linha amarela, esse intervalo “reduzirá 50 segundos no período da manhã, sendo também no corpo do dia ‘muito beneficiado'”, acrescenta.

De acordo com o EIA, da população global da Área metropolitana de Lisboa potencialmente abrangida pela alteração do metro, um total de 402.493 pessoas, 47,2% pertence ao grupo que apresenta um ganho de frequência e diminuição de transbordos, 47,2% ao grupo que apresenta um ganho de frequência e opções de entrada e 5,6% ao grupo que apresenta um ganho de frequência em paralelo com o aumento de transbordos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
José Vieira da Silva, ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social. Fotografia: Jorge Amaral/Global Imagens

Reformas. Governo quer normalizar pagamentos até ao final do ano

O primeiro-ministro, António Costa, discursa durante um encontro com empresários a trabalhar em Angola, em Luanda, Angola. O primeiro-ministro termina esta terça-feira, uma visita oficial de dois dias a Angola, durante a qual procurará retomar rapidamente os níveis anteriores a 2014 nas relações económicas e normalizar os contactos bilaterais político-diplomáticos. (JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA)

Costa: Portugal deseja mais empresas e investidores angolanos no país

Margrethe Vestager, comissária europeia da Concorrência. REUTERS/Yves Herman

Bruxelas suspeita de cartel alemão na tecnologia de emissões

Outros conteúdos GMG
Prolongamento da rede de metro vai reduzir tempo de espera