Promoções não param de crescer. Já são 45% das vendas em Portugal

Bebidas e equipamentos de telecomunicações foram as categorias de produto que mais cresceram as vendas o ano passado, segundo a APED

O ano passado o sector do retalho (alimentar e não alimentar) fechou com vendas de 20,2 mil milhões de euros, valor que representa uma subida de 3,8% face a 2016, segundo o Barómetro de Vendas da Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED).

O maior crescimento foi do lado do retalho alimentar, com as vendas das cadeias de distribuição a registar uma subida de 3,9%, para pouco mais de 12 mil milhões, e o retalho não alimentar a registar uma subida de 3,8% para 8,2 mil milhões.

As promoções já representam 45% das vendas, uma subida de 1,2 pontos percentuais em relação a 2016, ano em que as promoções já eram 43,8% das vendas do retalho.

A quota de mercado da marca de distribuição subiu ligeiramente o ano passado (+0,1 pp), para uma quota de 33,4%. Um crescimento na mesma proporção da marca de fabricante que recuou 0,1 pp, para 66,6%.

O que compraram os portugueses?

No alimentar foram as bebidas a categoria de produto que registou a maior subida - 8,5% -, seguido higiene e limpeza (4,1%) e mercearia (4%).

Os equipamentos de telecomunicações registaram o maior aumento no retalho não alimentar, uma subida de 13,8%, com destaque para os produtos como auriculares (46,5%), wearables, acessórios para telemóveis e tablets (17,3%) e smartphones (12,1%).

No retalho não alimentar destaque para as categorias de Entretenimento (+11,5%) e de Grandes Eletrodomésticos (+ 10,7%). Já informática caiu 0,3%, impactada pela descida de 11,2% nos tablets.

As vendas de vestuário subiram 2,1% para 2,2 mil milhões e a categoria de combustíveis cresceu 2,8%, para 3,5 mil milhões.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de