Proposta para supervisão financeira "ficará em debate público por três meses"

Mudanças propostas para supervisão serão apresentadas nas próximas semanas e ficarão em debate durante três meses. Centeno pede "consenso alargado"

Mário Centeno, ministro das Finanças, apontou esta tarde no Parlamento que as propostas do governo para alterar o modelo atual da supervisão financeira serão divulgadas "nas próximas semanas" e que ficarão "em debate público" nos três meses seguintes.

O calendário apresentado pelo governante atira a discussão sobre as propostas para depois de junho. "Será um debate muito abrangente, a alteração requer um grau de consenso alargado, será seguramente um debate muito rico e serão meses de debate intenso", previu o ministro das Finanças.

 

Minutos antes de responder sobre o calendário previsto pelo governo, já Mário Centeno tinha abordado as propostas hoje apresentadas pelo CDS também sobre supervisão financeira.

"Muitas das ideias apresentadas nos diferentes projetos do CDS têm uma enorme virtude, trazer a debate questões que são muito relevantes para a economia nacional. É evidente, como referi, que a ideia de uma supervisão burocrática, que cria custos ao regulado, é algo que deve ser combatido e melhorado", disse o governante.

Para Centeno, "todas as ideias que eliminem sobreposições e redundâncias são bem-vindas", disse, sublinhando também que "todas as ideias que previnam a existência de conflitos de interesse, incompatibilidades, devem ser consideradas e são úteis".

Questionado sobre se as propostas do CDS são compatíveis com as soluções pensadas pelo seu executivo, o ministro das Finanças referiu não ver "incompatibilidades" e que as sugestões dos centristas irão também ser objeto de debate público, tal como as do governo.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de