PT deixa de ser prestador do serviço universal. Para clientes de telefone fixo “nada muda”

PT mantém preços
PT mantém preços

A PT Comunicações vai deixar a partir de 1 de junho de ser a prestadora do serviço universal do telefone fixo, mas garante a operadora "para os seus clientes nada muda".

“Os atuais clientes da PT Comunicações não vão sentir nenhuma alteração nas condições dos seus serviços prestados nem nos tarifários contratados”, informa a PT em comunicado, salientando que reformados e pensionistas “vão manter as condições atuais de 50% de desconto na assinatura da linha telefónica analógica, desconto esse no valor de 7,79 euros”. Mais, lembra, a PT disponibiliza “serviços adaptados às necessidades dos cidadãos com deficiência”, serviços que se irão manter gratuitos.

Até quando serão mantidos os tarifários e os serviços nas mesmas condições a PT não precisa. “Não há nada que preveja qualquer alteração”, disse apenas fonte oficial da operadora quando contactada pelo Dinheiro Vivo.

Leia também: NOS passa a prestar o serviço universal a partir de 1 de junho

A NOS foi a operadora que ganhou o concurso para o serviço universal de rede fixa, sendo a partir de domingo o novo prestador deste serviço. Ontem a Anacom lembrou que para se manterem no serviço universal, com as condições reguladas pelo regulador, os clientes terão de contactar a NOS. É que findo o contrato com a PT a operadora liderada por Henrique Granadeiro não tinha qualquer obrigação de manter os atuais preços dos serviços prestados, o que agora a empresa diz que irá fazer.

No âmbito do concurso a PT Comunicações continua a assegurar o serviço de postos públicos e de listas telefónicas a partir de junho.

(informação atualizada às 17h50 com informação sobre o tempo de manutenção das condições dos tarifários e serviços pela PT)

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Banco de Portugal

Bancos concederam moratórias a 741 623 empréstimos entre março e junho

(João Silva/ Global Imagens)

A quem confiava dados pessoais? Aos supermercados, dizem consumidores

Fotografia: Reinaldo Rodrigues/Global Imagens

Centros. Limitação de horários em Lisboa leva a quebras de 40% nas vendas

PT deixa de ser prestador do serviço universal. Para clientes de telefone fixo “nada muda”