cibersegurança

Pulse. Claranet lança serviço para “medir o pulso” à segurança das empresas

António Miguel Ferreira - Claranet Portugal
António Miguel Ferreira, diretor-geral da Claranet em Portugal. Foto: Jorge Amaral/Global Imagens

Novo serviço da Claranet chega ao mercado disponível em três planos de preços, variando consoante necessidades e dimensão das empresas.

A nova aposta da Claranet é um serviço que permitirá monitorizar automaticamente os riscos de segurança dos ativos tecnológicos de uma empresa. Trata-se de um serviço modular de cibersegurança, disponível em três planos, que gera relatórios detalhados para que as empresas possam reduzir riscos na área da segurança.

“É como medir o pulso à segurança de um empresa, detetando a qualquer momento os principais riscos que uma organização está a enfrentar a nível tecnológico”, explica António Miguel Ferreira, managing director da Claranet, responsável pela área da Península Ibérica e América Latina. “Podemos comparar este serviço ao risco de crédito que se faz às empresas. Com o Pulse, propomos fazer uma análise objetiva do risco de segurança online.”

Este serviço atribuirá uma classificação aos riscos encontrados, que varia entre a nota A (para menor risco) e F (maior risco). Ao mesmo tempo, estes riscos são divididos em várias vertentes e associados aos principais pontos e atividades de risco: segurança de email, serviços expostos na Internet, credenciais, phishing, atividades de hacking ou fugas de informação.

A avaliação assegurada pelo serviço é feita de forma automática e regular, indica a Claranet, com o relatório digital a ser enviado para o cliente. “Esse relatório detalha cada vertente de segurança em vários vetores de risco – certificados expirados, falsos perfis, apropriação de domínios, autenticação de mensagens de email (DMARC) ou credenciais expostas, por exemplo –, com informação pormenorizada e recomendações para mitigar as ameaças detetadas. Como se trata de um serviço recorrente – subscrito anualmente – cada cliente beneficia de uma análise constante e objetiva ao seu nível de risco na Internet”, indica a empresa fornecedora de soluções de cloud, alojamento, redes e segurança. Através da análise do ranking feito pelo Pulse, as empresas podem tomar decisões e fazer melhorias na área da segurança.

“Mais do que uma ferramenta para detetar em tempo real os riscos associados a uma infraestrutura de TI, o Pulse é um serviço transversal de cibersegurança que atua também na solução proativa dos riscos, fornecendo aos utilizadores informações acionáveis, as melhores recomendações e práticas para os evitar, combater e resolver”, explica António Ribeiro, Cybersecurity Manager da Claranet Portugal, em comunicado.

A Claranet detalha que várias das tecnologias e metodologias inteligentes de segurança que são aplicadas pelo centro de operações de segurança da empresa estão também disponíveis neste novo serviço. Para António Miguel Ferreira, trata-se de “democratizar ainda mais a cibersegurança nas empresas de várias dimensões, fornecendo uma solução flexível e acessível, quer ao nível técnico, quer ao nível da cultura de segurança dentro de uma organização”.

O Pulse está disponível em três planos de preços – Professional, Business e Enterprise – com os preços a depender dos vetores de risco, necessidades de segurança e dimensões das empresas.

A Claranet, fundada em 1996, tem presença em nove países – Reino Unido, Portugal, Brasil, França, Alemanha, Holanda, Espanha, Itália e Estados Unidos – totalizando mais de 2200 colaboradores.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Lisboa,  29/09/2020 - Ursula Von der Leyen, Presidente da Comissão Europeia.
(Paulo Alexandrino/Global Imagens)

Ursula von der Leyen. “Portugal é único e tem agora oportunidades maravilhosas”

Portugal's Prime Minister Antonio Costa speaks during presentation of the European and Portuguese Recovery and Resilience Plans, at Champalimaud Foundation, in Lisbon, Portugal, 29 September 2020. Ursula Von Der Leyen is in Lisbon for a two-day official visit. MÁRIO CRUZ/LUSA

Portugal recorrerá só a subvenções. Empréstimos só quando situação melhorar

ANTONIO COTRIM/ LUSA

Von der Leyen: Instrumento “SURE é um escudo para os trabalhadores e empresas”

Pulse. Claranet lança serviço para “medir o pulso” à segurança das empresas