Quase 300 mil famílias deixaram de pagar os créditos no primeiro semestre

Moratórias fizeram travar o incumprimento. Até ao final de julho deste ano, os bancos abriram processos extrajudiciais para regularização de créditos que envolvem um montante global de mais de 1200 milhões de euros de dívidas.

Os bancos abriram, no primeiro semestre deste ano, 291,3 mil processos de acordo extrajudicial com famílias que já não conseguiam pagar os seus créditos.

O montante global envolvido neste processos supera os 1200 milhões de euros, segundo dados que constam da 'Sinopse de Atividades de Supervisão Comportamental', que foi divulgada esta quarta-feira.

Tanto no crédito ao consumo como no crédito à habitação, registaram-se descidas no incumprimento das famílias, devido à adesão às moratórias.

"No crédito aos consumidores, as instituições reportaram ao Banco de Portugal o início de 274 748 processos PERSI (Procedimento Extrajudicial de Regularização de Situações de Incumprimento), o que representa um decréscimo de 6,2% em relação ao semestre anterior", adianta o supervisor no relatório.

Acrescenta que "estes processos englobavam 232 527 contratos de crédito e um montante global em dívida de 611,6 milhões de euros".

No crédito à habitação e hipotecário, os bancos comunicaram a abertura de 16 581 processos PERSI, o que corresponde menos 5,8% relativamente ao semestre anterior.

"Estes processos envolviam 13 654 contratos de crédito e um montante total em dívida de 626,8 milhões de euros", aponta o supervisor.

No primeiro semestre deste ano, foram concluídos 15 363 processos PERSI, relativos a 11 544 contratos de crédito para compra de casa e a um
montante total em dívida de 526,1 milhões de euros.

Segundo o Banco de Portugal, o incumprimento foi regularizado em 73,2% dos processos encerrados, o que compara com 66,8% no segundo semestre de 2020.

No mesmo período, as instituições financeiras concluíram 266 224 processos PERSI relativos a 215 769 contratos de crédito aos consumidores, correspondentes a um montante total em dívida de 534,4 milhões de euros.

O incumprimento foi regularizado em 43,5% dos processos concluídos, face a 43,9% no semestre precedente.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de