Negócio

Quer enviar uma madeixa de cabelo para a Lua? A DHL leva-a por 391 euros

A missão lunar comercial Peregrine Lunar Lander tem lançamento marcado para 2019
A missão lunar comercial Peregrine Lunar Lander tem lançamento marcado para 2019

No máximo, o envio pode custar quase 22 mil euros (25 800 dólares). O preço para transportar 1 kg de carga espacial ronda 1,2 milhões de dólares.

Já se imaginou a enviar uma encomenda para a Lua? Agora vai ser possível. Uma madeixa de cabelo, uma aliança de casamento, areia da sua praia favorita, uma fotografia da família, pétalas de flores, cartas de amor são apenas alguns exemplos de objetos pessoais que poderão ser enviados para a superfície lunar, já em 2019, por um preço mínimo de 391 euros (460 dólares). No máximo, o envio pode custar quase 22 mil euros (25 800 dólares). Atualmente o preço para transportar 1 kg de carga espacial ronda 1,2 milhões de dólares.

A primeira missão lunar comercial privada – batizada Peregrine Lunar Lander – está já a ser planeada pela empresa norte-americana Astrobotic e a companhia de logística DHL associou-se à iniciativa através da criação e disponibilização dos kits MoonBox, pequenas caixas hexagonais, em forma de favos de mel, que dão aos clientes particulares de todo o mundo a possibilidade de enviar pequenos objetos para o espaço. “É uma oportunidade única para as pessoas deixarem a sua marca pessoal na Lua”, explicou ao Dinheiro Vivo Américo Fernandes, diretor-geral da DHL Express Portugal.

Apesar de o lançamento estar previsto apenas para 2019, já é possível neste momento encomendar uma MoonBox à DHL, através do site da Astrobotic. Para fazer seguir a sua encomenda pessoal para a Lua o primeiro passo é escolher o tamanho da caixa, com 12 opções diferentes à escolha, desde um mínimo de 1,27 cm de largura por 0,317 cm de altura, até um máximo de 2,5 cm de largura por 5 cm de altura. Quanto ao peso, não há limites. “As encomendas têm limites de volumes. Mas desde que o objeto caiba na cápsula, o peso não é relevante. Depois de o Peregrine Lunar Lander aterrar na Lua, os objetos permanecerão ali para sempre e servirão como uma espécie de cápsula do tempo para as futuras gerações de exploradores espaciais”, sublinha o responsável da DHL em Portugal.

Há, no entanto, algumas restrições sobre o tipo de objetos que podem ser enviados: não é permitido o envio de material explosivo; armas; bens perecíveis; material biológico (com exceção de cabelos ou dentes); líquidos; aerossóis; gel; ou objetos com energia armazenada, entre outros.

Os kits MoonBox incluem ainda um certificado e um mapa com a localização exata do local da aterragem na Lua. Cada cliente irá receber também uma fotografia com a sua encomenda a ser carregada na cápsula de transporte e existem planos para realizar uma transmissão ao vivo, e em direto, da missão espacial.

Depois da aterragem, serão enviados vídeos e imagens da Lua, o que permitirá ter uma recordação permanente da sua experiência espacial. Ao contrário dos cerca de 35 kg de instrumentos científicos que seguirão também a bordo do Peregrine Lunar Lender da Astrobotic para descarregar na superfície lunar, as encomendas enviadas pela DHL permanecerão vedadas no interior do veículo espacial.

“Será a primeira vez que iremos prestar um serviço logístico comercial aeroespacial. Com esta missão gostaríamos de contribuir para tornar a Lua e o Espaço acessíveis a todas as pessoas”, diz ainda Américo Fernandes, acreditando que muitos “irão aderir pela emoção de participarem na primeira missão comercial privada à Lua”, incluindo clientes portugueses. “Este é um serviço que está ao dispor de todas as pessoas, a partir de qualquer parte do mundo. Pelo que será natural que existam também clientes portugueses interessados em participar numa iniciativa inovadora como esta. Acreditamos que o facto de os preços cobrados pelo envio de uma encomenda para a Lua não serem demasiado elevados deverá suscitar o interesse de muitas pessoas”, antevê o diretor-geral da DHL Express Portugal.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Estado abdica de 10,8 mil milhões de receita fiscal

casas-do-airbnb_16b

Casa deixa de contar para o IRS quando se muda o crédito de banco

Fotografia: Nacho Doce/Reuters

Oi. “Centenas” de obrigacionistas portugueses não conseguiram fechar acordo

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Quer enviar uma madeixa de cabelo para a Lua? A DHL leva-a por 391 euros