Quer vender a sua casa? Há uma proptech para ajudar

Com sede no Porto, a Keezag já investiu 1,5 milhões de euros em soluções tecnológicas para descomplicar a transação de imóveis.

A tecnologia também chegou ao setor imobiliário e ameaça revolucionar o negócio da compra e venda de casas. A Keezag, uma das mais recentes proptechs portuguesas, apostou na criação de ferramentas digitais que visam descomplicar todo o processo de compra, venda ou de arrendamento. Para isso, a empresa liderada por José Ramos Duarte lançou em fevereiro a Keeselect, solução que permite conectar proprietários e agentes imobiliários e, sem sair de casa, de forma simples e rápida, obter informações como planos e comissões de venda. Criou ainda o Keevisit, ainda em fase de testes, que visa a gestão de visitas autónomas. Confiante no caráter inovador das aplicações, o empresário já decidiu avançar para os mercados norte-americano e brasileiro.

A ideia de constituir a Keezag surgiu após o empresário ter posto à venda a sua casa nos EUA. A experiência "negativa, demorada e cheia de frustrações" abriu-lhe a porta ao mundo dos negócios imobiliários. José Ramos Duarte faz questão de sublinhar que a Keezag não é uma mediadora: o seu foco é apoiar o proprietário, o consultor e o comprador na concretização do negócio, reunindo todos estes intervenientes numa só plataforma.

O processo é simples, transparente e eficiente, sublinha. O dono de uma casa anuncia na Keezag a intenção de venda e os consultores apresentam os seus planos de venda e valores de comissão; o proprietário compara as informações obtidas (comissões, reviews de outros clientes, experiência dos agentes) e decide a quem entregar o imóvel. Para o consultor, abre a oportunidade de angariar negócios antes de chegarem ao mercado tradicional. É com base nesta intermediação que a Keezag faz o seu negócio. A proptech cobra ao agente imobiliário um valor proporcional à comissão de venda proposta. Conforme sublinha José Ramos Duarte, antes era o proprietário que precisava de encontrar um agente imobiliário comprometido com a venda do imóvel, agora é o consultor que tem de conquistar o negócio.

Criada em 2018, a Keezag só agora está verdadeiramente ativa no mercado, depois de um investimento da ordem dos 1,5 milhões de euros. Neste momento, tem cerca de dois mil agentes imobiliários registados e 150 imóveis em carteira. Nos próximos dois anos, José Ramos Duarte quer a proptech a marcar presença em 20% das transações anuais do mercado português. E é com a experiência adquirida em Portugal que a Keezag quer conquistar o Brasil e os Estados Unidos.

Segundo o gestor, 98% dos negócios imobiliários nos EUA são realizados de forma tradicional, o que confere uma oportunidade única para a empresa sediada no Porto. "A maioria das proptechs em crescimento no Brasil e nos EUA são ibuyers e a Keezag atua "noutra ponta da cadeia", a "ajudar o proprietário a encontrar o consultor mais qualificado para vender a sua casa", frisa.

Tanto no Brasil como nos EUA não existe empresa igual - há modelos similares, mas não são iguais, sublinha. "A nossa solução é inovadora nestes dois mercados exatamente porque atua numa etapa anterior à mediação."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de