Quiksilver entra em processo de falência

Empresa teve prejuízo de 276 milhões de euros no ano passado
Empresa teve prejuízo de 276 milhões de euros no ano passado

A Quiksilver apresentou falência e avançou com um plano de reestruturação que implica entregar o controlo da marca à Oaktree Capital, noticia a Bloomberg.

A empresa australiana de material e roupa de surf, fundada em 1969, tem vindo a procurar investidores para evitar a insolvência – uma das soluções seria, até, ser comprada pelos próprios trabalhadores -, mas sem sucesso.

Assim, teve que avançar com outra solução. Segundo a Bloomberg, a Quiksilver propõe que o fundo de investimento Oaktree financie a empresa australiana com 175 milhões de dólares (cerca de 156,5 milhões de euros), suportando os custos de uma reestruturação. Quando o processo estiver concluído, a Oaktree fica com uma quota maioritária na Quiksilver, no valor do montante que investiu. Antes de este plano poder ir para frente, o pedido de insolvência terá de ser aprovado em tribunal.

A Oaktree já tem ligações à indústria do surf. Juntamente com a Centerbridge Partners, é a maior financiadora da Billabong, outra marca australiana de surf que tem enfrentado dificuldades financeiras. Ao todo, a Oaktree tem 100 mil milhões de dólares em carteira.

A Quiksilver já foi uma das marcas mais populares do mundo da moda. Nos anos ’90, lançou a Roxy, para o segmento feminino, que se tornou popular na Austrália e em todo o mundo. Ficou também famosa pelos calções de banho e, juntamente com a Billabong e a Rip Curl, era uma das maiores marcas de surf do mundo.

Mas, nos últimos tempos, tem tido dificuldade em fazer frente a marcas como a H&M, com preços mais acessíveis. No ano passado, as vendas da Quiksilver caíram 14% e a empresa apresentou um prejuízo superior a 276 milhões de euros.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Caixa Geral Depósitos CGD Juros depósitos

Caixa perdeu 1300 milhões com créditos de grandes devedores

Ursula von der Leyen foi o nome nomeado para presidir à Comissão Europeia. (REUTERS/Francois Lenoir)

Parlamento Europeu aprova Von der Leyen na presidência da Comissão

Christine Lagarde, diretora-geral demissionária do FMI. Fotografia: EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA

Christine Lagarde demite-se da liderança do FMI

Outros conteúdos GMG
Quiksilver entra em processo de falência