Enoturismo

Quinta da Boeira abre hotel de luxo após investir 38 milhões

O Boeira Garden Hotel é a última fase de um projeto iniciado em 1999. Fotografia: Fábio Poço/Global Imagens
O Boeira Garden Hotel é a última fase de um projeto iniciado em 1999. Fotografia: Fábio Poço/Global Imagens

O Boeira Garden Hotel é a mais recente unidade do centro histórico de Vila Nova de Gaia e a última fase de um projeto iniciado há 20 anos

O Boeira Garden Hotel, unidade de cinco estrelas em Vila Nova de Gaia, vai abrir portas no final de agosto, após um investimento de 17,5 milhões de euros, um milhão abaixo do orçamentado. Com 119 quartos e cinco suites, uma das quais com 180 metros quadrados, o hotel constitui a última fase de um projeto de enoturismo iniciado em 1999 e que implicou um investimento global de 38 milhões de euros.

O público-alvo do hotel é o mercado escandinavo, concretamente equipas de desporto que necessitem de um espaço diferenciado para estágios, disse Albino Jorge Sousa, administrador da empresa na apresentação da nova unidade de Gaia. “Estamos a criar um novo mercado”, frisou. Para já, o Boeira Garden ainda não entrou nos circuitos de comercialização, mas o responsável acredita que facilmente atingirá uma elevada taxa de ocupação.

Neste momento e até à inauguração oficial, prevista para final de agosto ou início de setembro, estão a ser finalizadas algumas intervenções no edifício, como a decoração da sala de jantar, instalação de cortinados e outras diligências. O hotel está equipado com spa, que ocupa uma área de mil metros quadrados. Para já, a unidade criou 60 postos de trabalho, mas admite que no próximo ano possa aumentar para 80.

Segundo Albino Jorge Sousa, o Boeira Garden irá ser certificado como Eco hotel, devido à já garantida classificação energética A+, obtida pela instalação de painéis fotovoltaicos que permitem a utilização de energia solar durante todo o dia, de depósitos para reserva de água freática para servir as instalações sanitárias e rega dos jardins.

Os custos com a edificação da unidade hoteleira, que ocupa nove dos 27 mil metros quadrados da Quinta da Boeira, ficaram curiosamente abaixo um milhão de euros do orçamentado. Para este facto pouco habitual em obras, “foi necessário acompanhar muito de perto a construção e não permitir alterações ao projeto”, sublinhou Carlos Pinto Ribeiro, administrador e sócio da empresa.

20 anos a investir
O projeto da Quinta da Boeira iniciou-se em 1999, quando 10 investidores se juntaram para adquirir o terreno e o palacete do século XX. Nessa altura, “vivia-se a época do betão e a sala de visitas de Vila Nova de Gaia ia ser destruída”, contou Albino Jorge Sousa, um dos oito sócios que perdura no projeto. Pelas mãos destes empreendedores, a Quinta da Boeira renasceu como um espaço de promoção e comercialização de vinhos do Douro e também de realização de eventos diversos.

A primeira fase de investimento centrou-se na transformação das cavalarias e estufas em salão polivalente, seguindo-se a recuperação do palacete e a construção da maior garrafa do mundo, um projeto a cargo do arquiteto Siza Vieira, numa homenagem aos vinhos portugueses. A garrafa, com 32 metros de comprimento e 10 de largura, é uma sala de provas de vinhos e de projeção de filmes e três dimensões com capacidade para 120 pessoas. Pelo espaço passam perto de 70 mil turistas por ano. A constituição de uma empresa produtora de Vinho do Porto e vinhos de mesa do Douro, sob a marca Quinta da Boeira, foi a penúltima etapa do projeto.

Dando como finalizado o projeto, a empresa prevê um volume de vendas da ordem dos 8 a 10 milhões de euros já em 2020.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Mário Centeno

Centeno volta a cativar mais dinheiro

Natalidade. Fotografia: Pedro Granadeiro / Global Imagens

Despesa com apoios à família é a quinta mais baixa da UE

Greve dos estivadores do Porto de Setúbal.

Estivadores de Setúbal anunciam greves parciais mas poupam Autoeuropa

Quinta da Boeira abre hotel de luxo após investir 38 milhões