Empresas

Rangel lança centro de logística em Braga e cria 60 empregos

Nuno Rangel, CEO do Grupo Rangel
Foto: Filipe Amorim/Global Imagens
Nuno Rangel, CEO do Grupo Rangel Foto: Filipe Amorim/Global Imagens

A Rangel Logistics Solutions vai investir mais de oito milhões de euros em Braga, num novo centro de logística, e cria 60 empregos.

A empresa Rangel Logistics Solutions, que se dedica à logística, transporte e armazenamento, apresenta terça-feira um projeto em Braga no valor de 8,5 milhões de euros, prevendo gerar seis dezenas de postos de trabalho, indicou esta segunda-feira o diretor.

Em causa uma empresa com sede em Ermesinde, concelho de Valongo, e plataformas espalhadas pelo país.

O investimento no concelho de Braga que é anunciado esta semana pela Rangel, Câmara bracarense e Bosch, empresa parceira do projeto, consiste na criação de um centro de operações de logística industrial, construído de raiz onde se estima armazenar 11.300 paletes, 11 milhões de caixas e 7.300 camiões de 25 toneladas.

Em declarações à agência Lusa, o diretor executivo da Rangel Logistics Solutions, Nuno Rangel, contou que nos últimos anos a empresa “tem apostado muito na logística industrial”, tendo encontrado “uma oportunidade de negócio” graças à procura da Bosch Car Multimédia Portugal, multinacional que procurava instalar um novo centro logístico no Norte do país.

“Candidatamo-nos e somos nós, uma empresa portuguesa, a criar essas condições tão importantes para a região. Desta forma também aumentamos a projeção da Rangel na área da logística industrial e no setor automotive e são criadas dezenas de postos de trabalho”, referiu Nuno Rangel.

Já nota sobre o projeto indica que este centro logístico resulta de um investimento conjunto entre a Rangel Logistics Solutions e o Mercado Abastecedor de Braga na ordem dos 8,5 milhões de euros a cinco anos.

Nuno Rangel estima que o projeto comece a desenvolver-se em março e esteja “praticamente a 100% em maio”.

O novo polo a Rangel vai assegurar serviços de receção de importação de matéria prima dos fornecedores nacionais e internacionais, armazenamento e abastecimento da fábrica durante 24h/365 dias em função das ordens de produção.

Na terça-feira está previsto que a apresentação conte com responsáveis autárquicos de Braga, bem como de diretores da Bosch e será promovida uma mesa-redonda com o nome “Infraestruturas logísticas industriais enquanto fator de atração de investimento” às 10:30 no Mercado Abastecedor local.

Questionado sobre planos para o futuro, Nuno Rangel admitiu que está a ser estudada a criação de um novo centro logístico no Porto, mas não quis adiantar pormenores, e destacou a existência de plataformas no Montijo, Lisboa, Ermesinde, Aveiro, Leiria, Alentejo, Faro, entre outras localidades.

Quanto à entrada em novos mercados, a Rangel começou a sua internacionalização em Angola em 2007, em Moçambique em 2011, no Brasil em 2013, e Cabo Verde em 2015.

“As perspetivas apontam para a continuidade de expansão para outros países”, referiu o diretor executivo da empresa que conta com 1.500 colaboradores diretos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
TimVieira_1-1024x683

“Fui quem mais investiu e mais perdeu no Shark Tank. E também quem ganhou mais”

João Lourenço, Presidente de Angola. Fotografia: ESTELA SILVA/LUSA

Dívida externa angolana financiou “enriquecimento ilícito de uma elite”

Lisboa, 12/06/2019 - Mariana Vieira da Silva, ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, fotografada esta tarde nos estúdios da TSF, durante uma entrevista 'A Vida do Dinheiro'  TSF/Dinheiro Vivo.
( Gustavo Bom / Global Imagens )

Mariana Vieira da Silva: Repetir a geringonça “é possível e desejável”

Outros conteúdos GMG
Rangel lança centro de logística em Braga e cria 60 empregos