media

RAP domina audiências até junho. Supera até o futebol

"Isto é é a gozar com quem trabalha", o novo programa de Ricardo Araújo Pereira. (PAULO SPRANGER/Global Imagens)
"Isto é é a gozar com quem trabalha", o novo programa de Ricardo Araújo Pereira. (PAULO SPRANGER/Global Imagens)

Fruto do confinamento provocado pela pandemia o consumo de televisão disparou 22% no primeiro semestre. SIC mantém liderança em junho.

Isto é Gozar com Quem Trabalha foi o programa mais visto nos primeiros seis meses do ano, com o formato apresentado por Ricardo Araújo Pereira a manter uma média de 1,6 milhões de telespectadores agarrados ao ecrã, garantindo à SIC um share de 28,8%. No período o formato domina as preferências, tendo superado Quem Quer Namorar com o Agricultor? – A Decisão e a final da Taça da Liga entre o SC Braga e o FC Porto. Até junho o consumo de televisão aumentou 22%.

O reality show gerou uma audiência média de 1,54 milhões e 32.7% de share para a SIC e a final da Taça da Liga entre o SC Braga e o FC Porto foi acompanhado por uma média de 1,52 milhões e 33% de share.

Fruto do confinamento provocado pela pandemia o consumo de televisão disparou 22% no primeiro semestre. “A grande maioria dos canais registou um incremento de audiências, especialmente os informativos, em virtude de uma ávida procura de notícias sobre a pandemia. Destaque para a SIC Notícias que, face ao período homólogo aumentou a sua audiência média em +63%, para a CMTV (+40%), TVI24 (+25%) e a RTP3 TDT (+19%)”, destaca a agência de meios Universal McCann, que integra o grupo IPG Mediabrands.

Entre os generalistas de “destacar a liderança da SIC em todas as semanas do ano, tendo aumentado a sua audiência média face a janeiro-junho 2019 em 31%”, refere a agência de meios. Em segundo lugar está a TVI, embora tenha sido o único canal em sinal aberto a perder audiências face ao mesmo período do ano passado (-1%). Já a RTP1 verificou um aumento de audiência média de mais 19%.

“Neste período, e alavancado pelo confinamento, de destacar também a performance de Outros (visionamento residual de canais não auditados, consumo diferido de dias anteriores e outras utilizações do televisor como streaming e consolas), que se posicionou à frente da RTP1 tanto em audiência média (+27 mil telespectadores que a estação de televisão pública) como em share (+1.2 p.p.)”, destaca a UM/IPG Mediabrands.

Nos canais de séries, a Fox liderou nos primeiros seis meses do ano com uma audiência média de 45 mil telespectadores (+57% versus janeiro-junho 2019), mais 20 mil que a Fox Life, 2.º canal mais visto. O AXN completou o top de canais de séries mais visto, com uma audiência média de 22 mil telespectadores.

Hawai Força Especial (Fox), Anatomia de Grey e Chicago Med (Fox Life) foram as séries mais vistas no semestre. “No acumulado do ano, o universo dos canais Fox registou 10 séries no top 10 das séries mais vistas”.

Desconfinamento faz cair consumo de televisão

“Com a entrada do verão e com o avançar das medidas de desconfinamento, o consumo televisivo em Portugal aproxima-se gradualmente dos valores registados antes da chegada da pandemia. Ainda assim, o consumo televisivo em junho regista uma performance superior em 11% face a fevereiro”, refere a agência de meios. Com o verão e o desconfinamento consumo global de TV recua 8% em junho.

Em junho, a SIC manteve a liderança com um share 20,5%, embora tenha registado uma quebra de -9% na sua audiência média. O canal foi sendo acompanhado por média de 476 mil telespectadores.

Já a TVI registou um share de 14.6, mais 2.4 p.p. que a RTP1, que registou um share de 11.2%.

“Fox, Fox Life e AXN foram os canais de séries mais vistos do mês, embora também tenham sofrido uma quebra de audiências causada pelo desconfinamento gradual assistido em Portugal no último mês”

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Foto: EPA/PATRICK SEEGER

Bruxelas dá luz verde a Banco Português de Fomento

Exemplo de ouro numa loja de câmbio em Klaaswaal, Países Baixos. (EPA/ROBIN VAN LONKHUIJSEN)

Ouro atinge recorde e excede os 2 mil dólares

Centenas de turistas visitam todos os dias os jardins do Palácio de Cristal, no Porto. Fotografia: Leonel de Castro/Global Imagens

FMI: Portugal com perdas acima de 2% do PIB devido à quebra no turismo

RAP domina audiências até junho. Supera até o futebol