restauração

Rebelde de vegetal. Burger King arranca com venda de Whopper vegie em Portugal

Rebel Whopper, o hambúrger  sem carne da Burger King, começa a ser vendido esta terça-feira
Rebel Whopper, o hambúrger sem carne da Burger King, começa a ser vendido esta terça-feira

Portugal é um dos 25 países europeus a receber o Rebel Whopper, o hambúrger à base de plantas. Oferta fica disponível em 2500 restaurantes na Europa.

O Burger King arranca com a venda de Rebel Whopper, o seu hambúrguer feito à base de plantas, em 25 mercados e Portugal é um deles. A partir de hoje os restaurantes da cadeia de fast food em Portugal Continental começam a comercializar esta oferta, seguido dos espaços nas ilhas.

Em finais de outubro, Jose Cil, CEO da Restaurant Brands International, a dona da marca, tinha admitido expandir a oferta vegetariana aos restaurantes da cadeia no mercado europeu, depois da experiência bem-sucedida nos Estados Unidos, com o o Impossible Whopper, e após a boa recetividade do Rebel Whopper e o Rebel Chicken King no mercado sueco. Um passo da cadeia de restauração com vista a conquistar uma fatia do mercado alternativo de carne que, segundo as estimativas do Barclays, vale globalmente 14 mil milhões de dólares.

 

BK Estádio Universitário

Na Suécia a cadeia trabalhou com a Vivera, uma produtora holandesa de produtos substitutos de carne, tendo a Burger King admitido em setembro que estava a trabalhar com a Marfrig Global Foods SA e Archer-Daniels-Midland Co. para produzir um Rebel Whopper sem carne para o Brasil.

A inclusão de Portugal no lançamento europeu de uma opção vegetariana do Whooper já tinha sido admitida, embora sem uma data, por Fernando Machado, chief marketing officer da Burger King, em entrevista ao Dinheiro Vivo durante a Web Summit, a ser publicada na edição de sábado.

A opção está a partir de hoje a ser comercializada na rede de mais de 100 restaurantes da marca no mercado nacional, de um total de 2500 restaurantes de 25 países europeus, a primeira cadeia de fast food a oferecer uma opção à base de vegetais em toda a Europa. Para isso, a Burger King trabalhou no desenvolvimento do Whopper com a The Vegetarian Butcher, uma empresa de referência na produção de hambúrgueres à base de plantas, disponível em mais de 4 mil pontos de venda em 17 países.

 

Burger King Matosinhos 1

A popularidade de carne à base de plantas tem levado as cadeias a incluir este tipo de oferta nos seus menus. Nos Estados Unidos a Burger King avançou com o Impossible Whopper, inicialmente um piloto, mas com o sucesso estendeu ao menu de mais de 3 mil restaurantes, com resultados positivos no aumento de tráfego nos restaurantes, segundo dados do Barclays na ordem dos dois dígitos. Os últimos resultados trimestrais também refletem esses números positivos, com as vendas da Burger King a subir mais de 10%.

Burger King Matosinhos 2

A McDonald’s também já deu passos para apanhar a onde de crescimento deste fenómeno. Em setembro, a cadeia arrancou no Canadá com a venda do novo hambúrguer “P.L.T.” Plant. Lettuce. Tomato. (Planta. Alface. Tomate.) a ser comercializado em 28 restaurantes, durante 12 semanas, resultado da parceria com a Beyond Meat. Mas trata-se de um piloto e não há uma data para a sua inclusão da oferta da cadeia nos 170 restaurantes que tem no mercado nacional. “Para já, em Portugal, a marca não vai avançar com nenhum teste e esperamos poder aprender com a resposta dos consumidores, no Canadá, ao P.L.T., bem como avaliar o resultado do teste após a sua conclusão”, disse na época fonte oficial da cadeia quando contacta pelo Dinheiro Vivo. A cadeia também está a vender um Big Vegan na Alemanha.

E não é a única. As cadeias Carl’s Jr. e TGI Friday’s ambas vendem opções Beyond Meat nos seus restaurantes nos Estados Unidos e de outras marcas no mercado externo.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

1400 empresas já pediram para aderir ao novo lay-off, apoios só a 28 de abril

Antonoaldo Neves, presidente executivo da TAP. Fotografia: Adelino Meireles/Global Imagens

TAP também vai avançar com pedido de layoff

Veículos da GNR durante uma operação stop de sensibilização para o cumprimento do dever geral de isolamento, na Autoestrada A1 nas portagens dos Carvalhos/Grijó no sentido Sul/Norte, Vila Nova de Gaia, 29 de março de 2020. MANUEL FERNANDO ARAÚJO/LUSA

Mais de 80 detidos e 1565 estabelecimentos fechados

Rebelde de vegetal. Burger King arranca com venda de Whopper vegie em Portugal