Receitas da MDS em Portugal cresceram 13% para 42,4 milhões de euros

Grupo diz-se "atento a oportunidades de crescimento" decorrentes de potenciais movimentos de fusões e aquisições, estando disponível para "avaliar e realizar operações que sejam criadoras de valor".

O grupo MDS, líder em Portugal em corretagem de seguros e consultoria de risco, fechou 2021 com um "resultado recorde" de 42,4 milhões de euros. São quase cinco milhões de euros a mais do que no ano anterior, o que representa um crescimento de 13% nas receitas agregadas de corretagem e mediação de seguros.

"Num contexto difícil, em que a economia nacional teve de enfrentar os impactos da pandemia, a MDS continuou a cimentar a sua liderança destacada no mercado português de mediação e corretagem de seguros, alcançando um crescimento de dois dígitos. Este desempenho traduziu o crescimento orgânico das várias empresas do grupo em Portugal, potenciado pela crescente digitalização do negócio e pelo reconhecimento do empenho e da excelência do serviço ao cliente, bem como o investimento em aquisições, que fortaleceram a presença geográfica e setorial da MDS Portugal", refere, citado em comunicado, o CEO da MDS Portugal, Ricardo Pinto dos Santos.

Em causa estão as empresas MDS Corretor de Seguros, MDS Auto, Moneris Seguros, Buzzee Insure (MDS Expat), Accive Insurance (MDS Accive), Iberosegur (MDS Special Solutions), MDS Link Solutions, MDS Win Broker (Madeira), MDS RE (resseguro) e MDS RS Reinsurance Solutions (resseguro), a que se juntaram no último ano as adquiridas Segurtime e Média Mais.

Recorde-se que, no final de 2021, os acionistas do grupo MDS acordaram a venda integral do capital social ao The Ardonagh Group, o maior grupo de corretagem independente do Reino Unido e um dos 15 maiores do mundo, com receitas superiores a 1,75 mil milhões de dólares (cerca de 1,66 mil milhões de euros), representando mais de 13 mil milhões de dólares (12,33 mil milhões de euros) de prémios brutos sob gestão. Conta com mais de uma centena de escritórios por todo o mundo e dá emprego a cerca de 10 mil pessoas. A conclusão da operação aguarda as devidas autorizações regulatórias.

Sobre 2022, este responsável promete que o grupo prosseguirá a sua estratégia de crescimento em Portugal, através do "reforço das operações de corretagem de seguros e consultoria de riscos", mas, também, do investimento em novos negócios, da conquista de novos clientes e do reforço da sua posição competitiva. "Vamos também continuar a investir na digitalização, melhorando continuamente a eficácia operacional e promovendo novas fontes de valor, ao mesmo tempo que reforçamos o posicionamento inovador da MDS e de líder na vanguarda tecnológica do setor", refere Ricardo Pinto dos Santos, que acrescenta: "Em paralelo, continuamos atentos a oportunidades de crescimento decorrentes de potenciais movimentos de fusões e aquisições, estando disponíveis para avaliar e realizar operações que sejam criadoras de valor".

Com presença direta em Portugal, Brasil, Angola, Moçambique, Espanha, Malta e Suíça, a MDS é o único grupo português e ibérico a integrar as listagem das 250 maiores empresas de corretagem de seguros do mundo, destaca ainda o comunicando, sublinhando que o grupo ocupa a 141ª posição no ranking da consultora internacional Insuramore de 2020, com uma receita estimada de 79,4 milhões de dólares (cerca de 75,3 milhões de euros).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de