transportes

Receitas do Metro de Lisboa crescem 8,8% até junho

Fotografia: Filipe Amorim/ Global Imagens
Fotografia: Filipe Amorim/ Global Imagens

Maior crescimento do número de passageiros com bilhetes ocasionais justifica o crescimento da faturação

As receitas do Metro de Lisboa cresceram 8,8% nos primeiros seis meses de 2017 para 53,2 milhões de euros. De acordo com o Ministério do Ambiente, os números ficaram acima das previsões do início do ano. O maior crescimento do número de passageiros com bilhetes ocasionais justifica o crescimento da faturação.

“Os passageiros com títulos ocasionais (bilhete Viagem CA/ML, Zapping, bilhetes 24horas, Cartão Bancário e Lisboa Card) foram os principais responsáveis pelos resultados verificados, com um acréscimo de 7,6%, que se refletiu num aumento de 14,4% de receita, enquanto o aumento dos passageiros detentores de passes situou-se nos 7%, representando uma melhoria de 3,4% das receitas”, refere o Ministério do Ambiente em nota enviada às redações esta terça-feira.

No início do ano, o gabinete liderado por João Matos Fernandes esperava um crescimento de receitas para 50,9 milhões de euros.

O aumento das receitas foi acompanhado pelo transporte de mais passageiros. Entre janeiro e junho viajaram 81,3 milhões de utentes, mais 7% face a igual período de 2016. Este número ultrapassou as previsões do Ministério do Ambiente, que esperava um aumento para para 78,2 milhões de passageiros.

O Metro de Lisboa passou para a tutela do Ministério do Ambiente a 1 de janeiro. Até ao final de 2021, está prevista a abertura de duas novas estações, Estrela e Santos, e será feita a ligação entre o Rato e o Cais do Sodré.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
7. Aeroporto de Londres Heathrow

Oficial. Portugal fora do corredor turístico do Reino Unido

O primeiro-ministro, António Costa (E), ladeado pelo ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira (D), durante o debate parlamentar que antecede a votação do texto final apresentado pela Comissão de Orçamento e Finanças que aprova o Orçamento Suplementar para 2020, na Assembleia da República, em Lisboa, 03 de julho de 2020. O parlamento deverá aprovar hoje, em votação final global, a proposta de orçamento suplementar, que se destina a responder às consequências económicas e sociais provocadas pela pandemia de covid-19. MIGUEL A. LOPES/LUSA

Aprovado o Orçamento Suplementar apenas com o voto a favor do PS

A deputada do CDS-PP Cecília Meireles durante o debate na especialidade da proposta de Orçamento do Estado para 2020 . (MIGUEL A. LOPES/LUSA)

Deputados mantêm suspensão da devolução de manuais escolares

Receitas do Metro de Lisboa crescem 8,8% até junho