Recurso ao crédito pessoal e cartões de crédito sobe 400 milhões

Os portugueses pediram 297 milhões em crédito pessoal, um aumento de 17,1% face ao mês de dezembro de 2018.

O crédito pessoal e o recurso aos cartões de crédito, linhas e saldos a descoberto aumentaram em dezembro em cerca de 400 milhões de euros.

Os portugueses pediram 297 milhões em crédito pessoal, um aumento de 17,1% face ao mês de dezembro de 2018. Nos cartões e linhas a descoberto, o valor subiu 2,2% para 101 milhões de euros, segundo dados divulgados esta segunda-feira pelo Banco de Portugal.

No ano de 2019, o recurso ao crédito pessoal, cartões de crédito, linhas e saldos a descoberto atingiu os 4,6 mil milhões de euros, superando o recorde de 2018, de 4,2 mil milhões de euros.

No total, os portugueses endividaram-se em mais 668 milhões de euros em crédito ao consumo, só no mês de dezembro. Trata-se de um aumento de 7,1% em termos homólogos e de 1,6% face ao mês anterior. O valor atira o montante anual para os 7,5 mil milhões de euros, um novo máximo.

Os dados hoje divulgados pelo Banco de Portugal superam aqueles já anunciados na semana passada, que mostraram um recorde na concessão de crédito ao consumo em Portugal.

Segundo os dados anteriormente divulgados, em dezembro, as famílias endividaram-se em mais 501 milhões de euros.

O volume de novo crédito concedido em dezembro é explicado, em parte pelo mínimo de sempre registado nas taxas de juro médias nos empréstimos ao consumo.

No crédito automóvel, apesar de ter havido uma descida no montante de crédito concedido, aumentou o número de contratos. Em dezembro, os portugueses pediram 270 milhões de euros para compra de automóvel, menos 0,4% do que no mesmo mês de 2018. Foram feitos 18.110 contratos, mais 0,3% do que no período homólogo.

No total do ano, os portugueses pediram 2.990,1 milhões de euros para a compra de automóvel, um valor abaixo dos 3.119,8 milhões de euros registados em 2018.

No total, em 2019, os portugueses contrataram 3,5 mil milhões de euros em crédito ao consumo, um recorde, segundo os dados do Banco de Portugal. Nos cartões de crédito, linhas de financiamento e contas a descoberto, o montante atingiu os 1,1 mil milhões de euros, um novo máximo.

O aumento do crédito ao consumo fez disparar alarmes no Banco de Portugal, no terceiro trimestre de 2019. O supervisor anunciou no final de janeiro novas medidas para travar a concessão de crédito ao consumo que entram em vigor no próximo dia 1 de abril.

Uma das principais medidas introduzidas pelo Banco de Portugal foi a diminuição de 10 para sete anos do prazo máximo para novos contratos de crédito ao consumo. As medidas vieram complementar as que já estavam em vigor, desde julho de 2018, para o crédito ao consumo e crédito à habitação.

O Banco de Portugal pretende, com a imposição destes limites ao crédito, melhorar a qualidade do crédito concedido para proteger os bancos de novos problemas com crédito malparado.

Atualizada às 13H14 com mais informação

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de