aviação

Reino Unido processa Ryanair por não compensar passageiros por cancelamentos

Michael O'Leary, CEO da Ryanair. (Fotografia: Will Oliver/ EPA)
Michael O'Leary, CEO da Ryanair. (Fotografia: Will Oliver/ EPA)

A transportadora aérea de baixo custo está a ser acusada de travar indemnizações aos passageiros.

A disputa entre a Autoridade de Aviação Civil britânica (CAA) e a Ryanair chegou aos tribunais. A CAA informou esta quarta-feira que avançou com uma ação legal contra a Ryanair, exigindo à companhia aérea as compensações devidas aos passageiros por perturbações nos voos, durante as folgas dos tripulantes de cabine.

Segundo o jornal El Mundo, o anúncio foi feito, em comunicado, pela CAA, que iniciou uma investigação, em setembro deste ano, para determinar se a transportadora irlandesa estaria a violar os direitos dos clientes, depois do cancelamento de milhares de voos.

A CAA sublinhou que tomou esta decisão porque as folgas não são “circunstâncias extraordinárias”, como refere a empresa, pelo que não estão isentas da legislação europeia EC 261/2014, que diz que os gastos adicionais provocados por atrasos ou cancelamentos têm direito a reembolso. Estes gastos extra incluem refeições, alojamento e custos de deslocação.

Ainda de acordo com a lei, um cancelamento ou atraso superior a três horas dá direito a uma compensação de até 600 euros.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (D), e o primeiro-ministro, António Costa (E). Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Presidente já tem nomes dos novos ministros

Agricultura

Salários agrícolas disparam no Algarve e Lisboa

twitter-mobile-app-ss-1920-960x540_c

Twitter pia mais fino, milhões de utilizadores voaram

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Reino Unido processa Ryanair por não compensar passageiros por cancelamentos