Energia

Repsol com lucros de 2,1 mil milhões

A Repsol vai construir um parque eólico flutuante na costa portuguesa, um dos maiores do mundo

A multinacional petrolífera espanhola Repsol registou um lucro de 2.171 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, mais 37,1% do que no mesmo período de 2017, de acordo com um relatório que a empresa enviou ao mercado.

Numa informação publicada hoje pela Comissão Nacional do Mercado de Valores (CNMV) espanhola, a empresa energética comunica que, o benefício líquido ajustado, que mede a evolução da atividade, foi de 1.720 milhões de euros, um aumento de 11,5% comparado com os primeiros nove meses de 2017.

Por outro lado, o resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) foi de 5.833 milhões de euros, um aumento de 23,7%.

A multinacional que também está presente em Portugal sublinha que aumentou a sua produção de hidrocarbonetos em 3,7% nos primeiros nove meses do corrente ano, para 713.000 barris equivalentes de petróleo por dia.

Na informação ao mercado, a Repsol sublinha que chegou a acordo durante o corrente mês sobre o financiamento para a construção de um parque eólico flutuante na costa portuguesa que será “um dos maiores do mundo”, com uma capacidade instalada de 25 MW (megawatts).

O Banco Europeu de Investimento concedeu há duas semanas um empréstimo de 60 milhões de euros à Windplus, subsidiária da EDP, Repsol e Principle Power, para o funcionamento do primeiro parque eólico flutuante no mar, em Viana do Castelo.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
EUA China

China retalia na ‘guerra’ com os EUA com tarifas em 75 mil milhões de bens

Emmanuel Macron, presidente francês. Fotografia: Direitos Reservados

Fogos na Amazónia: França e Irlanda ameaçam bloquear acordo com Mercosul

O ministro do Ambiente e da Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes, intervém durante uma conferência de imprensa para fazer o ponto de situação sobre a crise energética, no Ministério do Ambiente e da Transição Energética, em Lisboa, 13 de agosto de 2019. JOÃO RELVAS / LUSA

Ministro do Ambiente: “Há cada vez mais condições” para que greve não aconteça

Outros conteúdos GMG
Repsol com lucros de 2,1 mil milhões