Residentes viajam mais, mas poupam no hotel

Marca do automóvel é um fator importante

Os residentes em Portugal realizaram, no primeiro trimestre deste ano,
3,4 milhões de viagens turísticas, sendo 52,6% motivadas por visita a
familiares ou amigos. A larga maioria (76,2%) poupou o dinheiro do hotel
e ficou alojada, em média três dias, em alojamento particular gratuito.

As estatísticas reveladas hoje pelo Instituto Nacional de Estatística
denotam alguma recuperação nas viagens realizadas pelos residentes em
Portugal no período entre Janeiro e Março deste ano, em comparação com
igual período do ano passado (2,8 milhões de viagens, tal como no
primeiro trimestre de 2010), mas “ainda aquém dos valores de 2009”, de
3,6 milhões.

A recuperação ficou a dever-se, contudo, ao aumento da vertente “visita a familiares e amigos” (1,4 milhões no ano passado e 1,8 milhões este ano, ambos relativos ao primeiro trimestre) e com aumento da utilização do alojamento gratuito.

Apenas 10,6% das viagens se efetuaram por motivo de negócios, sendo a maioria (66,8%) para território nacional e apenas 33,2% para o estrangeiro. Entre Janeiro e Março, os residentes realizaram 360 mil viagens ao estrangeiro.

Quanto aos meios de transporte, o automóvel foi o meio utilizado em 80,2% das viagens, que não foram marcadas antecipadamente em 78,4% das ocasiões. A internet foi o meio escolhido para organizar as viagens em 42,6% das deslocações com marcação e apenas 25,2% implicaram recurso a uma agência de viagens.

No mesmo período do ano passado, o alojamento particular gratuito foi a opção dos residentes em 69% das viagens, tendo o aumento deste ano (para 76,2%) reflexos na perda em hotéis e pensões (de 24% em 2011 para 19,4% este ano). Estes conquistam a maioria das dormidas apenas nas viagens por motivo de negócios, com 53,8% do total, ainda que também 38,7% opte pelo alojamento particular gratuito e 4,5% fique em alojamento particular pago.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(DR)

Crédito ao consumo dispara 15% em outubro

(Paulo Spranger/Global Imagem)

Indemnizações pagas pelo Fundo de Garantia Salarial não escapam ao IRS

CP tem de entregar contrato de serviço público com o Estado até 31 de dezembro. (Leonardo Negrão / Global Imagens)

CP: Adiamento de manutenção de comboios regionais vale demissão

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Residentes viajam mais, mas poupam no hotel