Ribeiro da Silva: "Governos têm sido hipócritas quanto ao custo da energia"

Dois terços das faturas de energia correspondem a impostos, taxas e políticas de sucessivos governos, apontou o presidente da Endesa Portugal.

Os "governos têm sido hipócritas" quando lamentam "com lágrimas de crocodilo" o valor elevado do custo da energia em Portugal "quando dois terços da fatura são impostos, taxas e políticas", declarou Nuno Ribeiro da Silva, presidente da Endesa Portugal, na conferência do 30º aniversário do INEGI, hoje, no Porto.

"As empresas de energia partilham da preocupação com as famílias mais carenciadas, mas custa que isso não vá ao devido bolso da solidariedade social e vá ao bolso das empresas energéticas", apontou, reclamando que o setor tem sido sempre um "setor refém" de algo.

Falando sobre as oportunidades que o novo paradigma da energia abrem para Portugal, o responsável nomeou a produção de tecnologias específicas para as novas fontes de energia. Em vez de "termos de ir às mega-unidades de produção, somos chamados à nossa criatividade e capacidade para dar o nosso contributo e voltar a ser protagonistas na construção do novo paradigma".

"As empresas energéticas não são mais geradoras de tecnologia", rematou Nuno Ribeiro da Silva.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de