Ritmo de pagamento de incentivos duplica no arranque do ano

Até final de março foram pagos 710 milhões de euros em incentivos às empresas, mais 86% do que no período comparável do Qren

No arranque do ano, o ritmo de pagamentos dos programas de incentivos às empresas estão a ser processados duas vezes mais depressa do que no período comparável de 2016, revelou esta quarta-feira, Pedro Marques, ministro do Planeamento e das Infraestruturas.

O ministro anunciou que já foram feitos "mais de 700 milhões de euros de pagamentos a empresas nos vários sistemas de incentivos", mais concretamente, 712 milhões de euros pagamentos, verbas que "correspondem a mais 86% do que o período comparável do Qren".

Só este ano, foram pagos 233 milhões, detalhou ainda o secretário de Estado Nelson de Souza, com a pasta do Desenvolvimento e Coesão.

"Em particular queria destacar que a média do primeiro trimestre do ano foi quase o dobro do comparável de 2016", detalhou o ministro, acrescentando que "três quartos são feitos por conta de despesa efetivamente realizada". Em relação a este indicador, Nelson Souza detalhou que "são mil milhões de investimento".

Esta informação chega depois das críticas da oposição relativamente ao que considerava serem adiantamentos. Pedro Marques rejeita e detalha que as empresas também estão a investir, e que este valor "compara com 41% do Qren na mesma altura".

O ministro com o dossier do Portugal 2020 lembra que os empresários estão mais confiantes e que "essa confiança que se introduziu com a aprovação recorde de projetos acabou por ter um efeito no investimento das empresas", nomeadamente do Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) que "está a crescer", em especial nos segmentos de máquinas e equipamentos.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de