Coronavírus

Rodoviária de Lisboa termina lay-off e repõe todos os autocarros

Rodoviária de Lisboa
Foto: DR

A Rodoviária de Lisboa (RL) terminou o período de ‘lay-off’ iniciado em abril, na sequência da pandemia de covid-19, e vai retomar a totalidade da oferta de autocarros a partir de segunda-feira, anunciou esta quinta-feira a empresa.

“A Rodoviária de Lisboa confirma a retoma da oferta a partir de segunda-feira, dia 11 de maio, bem como o final do ‘lay-off'”, indicou a empresa numa nota enviada à agência Lusa.

Também esta quinta-feira, os utentes dos transportes públicos do concelho de Loures tinham dado conta das garantias da empresa de restabelecer a oferta a partir do dia 11 de maio, que seria possível devido ao fim do ‘lay-off’.

As garantias da Rodoviária de Lisboa foram dadas durante uma reunião que se realizou na quarta-feira entre as comissões de utentes e a administração da empresa.

Segundo as comissões de utentes, que representam os passageiros das localidades de Sacavém, Camarate, Unhos e Apelação, além do reforço da oferta, foi pedida à empresa a aplicação de “medidas adicionais de proteção dos utentes e dos trabalhadores”.

Entre essas medidas está a instalação de barreiras físicas para o motorista, de dispensadores de álcool gel ou solução desinfetante e o reforço da limpeza, desinfeção e higienização das viaturas.

A RL anunciou no início de abril que iria entrar em ‘lay-off’ parcial, com redução das horas de trabalho de todos os colaboradores, mas assegurou que seriam mantidos os “serviços mínimos de mobilidade”, com “uma oferta de carreiras ajustada à procura que existe atualmente”.

Segundo a Rodoviária de Lisboa, a decisão de avançar para o regime de ‘lay-off’ parcial pretendia assegurar “a manutenção dos postos de trabalho de todos os colaboradores”, já que a quebra na procura dos serviços de transportes, na sequência das restrições de mobilidade associadas à pandemia de covid-19, resultou “numa drástica redução das receitas provenientes dos passes e dos bilhetes”.

O ‘lay-off’ consiste na redução temporária dos períodos normais de trabalho ou suspensão dos contratos de trabalho efetuada por iniciativa das instituições, durante um determinado tempo.

No âmbito do plano de desconfinamento e do fim do estado de emergência, os transportes públicos iniciaram na segunda-feira várias alterações no seu funcionamento, entre elas a obrigatoriedade do uso de máscara e de circulação com lotação máxima de dois terços da sua capacidade.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Presidente do Conselho de Finanças Públicas (CFP), Nazaré da Costa Cabral. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Linhas de crédito anti-covid ainda podem vir a pesar muito nas contas públicas

Fotografia: Fábio Poço/Global Imagens

Apoio a rendas rejeitado devido a “falha” eletrónica

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. RODRIGO ANTUNES/LUSA

Só 789 empresas mantiveram lay-off simplificado em agosto

Rodoviária de Lisboa termina lay-off e repõe todos os autocarros