Automóvel

Salão do Automóvel volta a Lisboa no final de novembro

Helder Pedro, secretário-geral da ACAP. Fotografia: Orlando Almeida/Global Imagens
Helder Pedro, secretário-geral da ACAP. Fotografia: Orlando Almeida/Global Imagens

Edição de 2017 do Salão do Automóvel será feita nos mesmos moldes da edição anterior, em 2015, ou seja, não conta para calendário internacional

O Salão do Automóvel vai voltar a Lisboa. Entre 21 e 26 de novembro, o mercado nacional estará representado em dois pavilhões da FIL (Parque das Nações), com uma área superior a 16 mil metros quadrados. Há já cerca de 30 marcas confirmadas e os bilhetes já estão disponíveis. Para a edição de 2017, haverá ainda uma área dedicada a veículos seminovos, e que vai complementar a exposição de veículos novos, ligeiros e comerciais.

“Vamos organizar o Salão do Automóvel com a coordenação das marcas e concessionários”, adianta ao Dinheiro Vivo o secretário-geral da ACAP, Helder Pedro, que volta a ser responsável pelo evento.

A edição de 2017 do Salão do Automóvel será feita nos mesmos moldes da edição anterior, em 2015. Este evento não conta para o calendário internacional, estabelecido pela Organização Internacional dos Construtores de Automóveis (OICA). Realiza-se numa altura em que as vendas de automóveis continuam a recuperar da crise de 2012.

Além da exposição de veículos novos e seminovos, o Salão do Automóvel deste ano vai ter quatro dias de conferências, entre 21 e 24 de novembro, de acordo com o comunicado enviado esta quarta-feira pela ACAP. Mobilidade no século XXI, conectividade na indústria automóvel e a relação desta indústria com o ambiente serão os principais temas das conferências. Também está prevista a apresentação de um estudo com o perfil e tendência da indústria automóvel portuguesa.

Os bilhetes normais custam cinco euros por pessoa; o bilhete familiar é vendido por 10 euros e permite a entrada a dois adultos e duas crianças até 16 anos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Paulo Spranger/Global Imagens)

Depois de pagar a renda sobram 450 euros ao salário dos lisboetas

(Paulo Spranger/Global Imagens)

Depois de pagar a renda sobram 450 euros ao salário dos lisboetas

Aptoide | Paulo Trezentos | Álvaro Pinto

Portuguesa Aptoide já negoceia com Huawei para ser alternativa à Google

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Salão do Automóvel volta a Lisboa no final de novembro