Tecnologia

Samsung lança smartphone com ecrã dobrável em setembro

Samsung-Galaxy-Fold_3

A gigante sul-coreana Samsung Electronics anunciou hoje que o seu novo modelo de ‘smartphone’ com ecrã dobrável vai estar disponível em setembro, depois de já ter adiado uma vez o lançamento devido a problemas técnicos.

O anúncio surgiu no contexto de uma disputa entre a Coreia do Sul e o Japão que está, segundo analistas, a ameaçar o mercado global da tecnologia.

Tóquio impôs recentemente restrições às exportações para a Coreia do Sul de materiais fotorresistentes e produtos químicos essenciais no fabrico de semicondutores e monitores.

A medida do Governo japonês alimentou a ira pública na Coreia do Sul, onde muitos entendem que o Japão ainda não reconheceu totalmente a responsabilidade pelas atrocidades cometidas durante a ocupação do país entre 1910 e 1945.

Especialistas disseram acreditar que a implantação da rede internet móvel de quinta geração (5G) pode ser afetada por estas medidas, assim como a implantação de ecrãs futuristas dobráveis, como o novo “Galaxy Fold” da Samsung.

A Samsung tinha inicialmente planeado lançar o novo modelo em abril, mas jornalistas responsáveis por testar o equipamento relataram problemas.

Neste anúncio, a Samsung disse que o dispositivo foi “melhorado e que estavam em curso os últimos testes de produto” para que o ‘smartphone’ seja colocado à venda em setembro.

O gigante sul-coreana passou quase oito anos a desenvolver este modelo, num esforço para impulsionar a procura e reanimar o setor.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro ministro, António Costa, fala aos jornalistas durante a conferência de imprensa realizada no final da reunião do Conselho de Ministros, no Palácio da Ajuda, em Lisboa, 04 de junho de 2020. MANUEL DE ALMEIDA / POOL/LUSA

Governo vê economia a crescer 4,3% em 2021 e desemprego nos 8,7%

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, durante a conferência de imprensa após a reunião extraordinária da Comissão Permanente de Concertação Social por video-chamada, no Ministério da Economia, em Lisboa, 16 de março de 2020. RODRIGO ANTUNES/LUSA

Segunda fase do lay-off custa mais de 700 milhões de euros

Jorge Rocha de Matos, presidente da Fundação AIP. Foto: direitos reservados

Rocha de Matos: IVA devia ser de 6% em todos os eventos para ajudar o turismo

Samsung lança smartphone com ecrã dobrável em setembro