Centros Comerciais

Science4You decide sair do Amoreiras. Quebra de vendas ditam não renovação

Amoreiras Shopping Center

Mundicenter nega não ter prestado apoio aos lojistas no que toca às rendas e diz ter proposto à Science4You descontos de rendas de abril a junho.

A Mundicenter nega que tenha rescindido contrato com Science4You de Miguel Pina Martins no Oeiras Parque. A gestora de centros comerciais garante que se limitou a não renovar o contrato com o também presidente da Associação de Marcas de Retalho e Restauração (AMRR), à semelhança do que fez Miguel Pina Martins que optou por não renovar contrato que o mantinha ligado ao Amoreiras Shopping até ao final do ano. Quebra de vendas e a indisponibilidade da Mundicenter em renegociar rendas está na origem da decisão da empresa de brinquedos. A Mundicenter assegura ter dado descontos nas rendas de abril a junho.

O presidente da AMRR, Miguel Pina Martins, tinha acusado os centros comerciais de exercer “bullying do mais alto nível com lojistas a receberem propostas de acordos com cláusulas absolutamente abusivas e diria até ilegais”, em recente entrevista ao Dinheiro Vivo. E deu como exemplo o caso da Science4You, da qual é CEO e fundador, no Oeiras Parque. “Veja que eu próprio fui agora vítima desse bullying, depois de oito anos num centro que é dirigido pelo Presidente da APCC, fui convidado a sair. Não nos iludamos. Estamos a falar de um poder desequilibrado. É o Golias a esmagar totalmente o David.”

Leia aqui a entrevista do presidente da AMRR: “Centros comerciais estavam sentados num modelo de negócio totalmente blindado”

A Mundicenter nega a acusação. “A Mundicenter não rescindiu o contrato com o quiosque da Science4You no Oeiras Parque, ao contrário do que foi publicado na peça que saiu no Dinheiro Vivo com o responsável máximo da Science4You. A Mundicenter limitou-se, de acordo com o estabelecido no contrato em vigor entre as partes, a comunicar que o mesmo não seria renovado automaticamente a partir do próximo mês de setembro”, reagiu Fernando Oliveira. “No que se refere à rescisão de contratos com lojistas por nossa iniciativa, tal situação não está a ser aplicada, em qualquer um dos nossos centros comerciais”, acrescenta o administrador da Mundicenter, gestora de espaços como o Forum Aveiro, Strada Outlet ou Braga Parque.

“A administração da Mundicenter explicou diretamente ao responsável máximo da Science4You esta decisão. Afirmar o contrário é faltar à verdade. Sendo esta uma situação normal, atendendo ao facto que, por exemplo, em 2018 a Science4You tomou também ela a decisão de não renovar o contrato no Arena Shopping, Centro também pertencente ao grupo Mundicenter, o que reforça que as não renovações são bilaterais e fazem parte de qualquer relação comercial”, continua o responsável. Mais, adianta, “após a publicação do artigo no Dinheiro Vivo, publicado a 17 de julho, o responsável máximo da Science4You, informou a Mundicenter que pretende rescindir com efeitos imediatos o contrato que detém com a mesma no Amoreiras Shopping Center, contrato esse que se encontrava em vigor até dia 31 de dezembro de 2020, alegando que as vendas não lhe permitem cumprir com o mesmo até à data estabelecida.”

Miguel Pina Martins justifica a decisão de sair do Amoreiras Shopping, o primeiro quiosque da Science4You, com as quebras de vendas sofridas e com a indisponibilidade da Mundicenter em renegociar rendas.

“Depois de três meses encerrados e com uma baixa de vendas que o mercado vive atualmente, receber uma denúncia contratual significa que não somos desejados por este grupo, quando seria exigível que estivesse do lado de todos os lojistas na maior crise do retalho de sempre”, diz Miguel Pina Martins.

“Tentámos negociar as rendas no início e, apesar de uma abertura bastante grande inicialmente, a Mundicenter mostrou-se totalmente indisponível para negociar a renda nos meses seguintes”, lamenta o CEO da Science4You em declarações ao Dinheiro Vivo.

“É com muita pena que nos vemos obrigados a fechar, pois o centro comercial Amoreiras foi onde abrimos o nosso primeiro stand… Foram excelentes anos ligados aos espaços da Mundicenter, mas nesta fase as duas empresas precisam de seguir os seus caminhos independentes pois acreditamos que não existem condições para mantermos a parceria”, conclui o gestor.

O que diz a Mundicenter?

A Mundicenter diz que esta foi uma decisão da Science4You que, à semelhança de outros lojistas, recebeu descontos nas rendas. “Dado o muito fraco desempenho dos quiosques Science4You, tendo o próprio Miguel Pina Martins expressado muitas dúvidas quanto à sua continuidade, foi-lhe dada a hipótese de sair antecipadamente, dada a grande incerteza sobre a evolução expectável das vendas no futuro próximo. Foram concedidos descontos de abril a junho”, revela o administrador da Mundicenter.

A gestora dos centros comerciais Arena Shopping ou Spacio Shopping nega que não tenha auxiliado os lojistas durante a pandemia e no pós-reabertura de lojas. “Durante os meses de quarentena, a Mundicenter pautou-se pelo seu compromisso com os mesmos, tendo durante os meses de abril e maio perdoado as rendas e cobrado apenas 50% do valor das mesmas no mês de junho, altura em que os centros comerciais da Área Metropolitana de Lisboa voltaram a ter a sua atividade a funcionar a 100%, não sendo assim apenas o grupo Ikea a fazê-lo como argumenta o responsável máximo da Science4You na entrevista facultada”, diz Fernando Oliveira.

De acordo com a informação partilhada pela Mundicenter, “o Programa de Apoio proposto pela Mundicenter aos lojistas, e aceite e assinado por 92% desses mesmos lojistas, propõe um desconto de 100% das rendas de abril e maio; desconto de 50% da renda de junho; moratória de 50% da renda de junho; moratória de 30% das rendas de julho, agosto e setembro”, descreve o administrador.

A moratória sobre as rendas seria pagam em 20 meses, com início do próximo ano. Havia igualmente um “compromisso assumido no acordo assinado para analisar individualmente com cada Lojista, baseado em dados reais e objetivos do desempenho dos lojistas, a necessidade de apoio adicional”.

A gestora aguarda agora a publicação da nova Lei das Rendas, que permite aos lojistas pagar apenas a renda variável até março do próximo ano.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Trabalhos de descarga de contentores no Porto de Sines, 12 de fevereiro de 2020. TIAGO CANHOTO/LUSA

Exportações com quebra de 17% na primeira metade do ano

Isabel Camarinha, líder da CGTP, fala aos jornalistas após audiência com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, no Palácio de Belém, em Lisboa, 30 de julho de 2020. (MIGUEL A. LOPES/LUSA)

CGTP. Governo nega complemento a quem esteve em lay-off sem justificação

spacex-lanca-com-sucesso-e-pela-primeira-vez-a-nave-crew-dragon-para-a-nasa

SpaceX lança 57 satélites para criar rede mundial de Internet de alta velocidade

Science4You decide sair do Amoreiras. Quebra de vendas ditam não renovação