Seguros

Lucros das seguradoras cresceram 50% em 2018

(Paulo Jorge Magalhães/Global Imagens)
(Paulo Jorge Magalhães/Global Imagens)

As seguradoras lucraram 486 milhões de euros em 2018. Proveitos subiram 12,6% para 12 mil milhões de euros.

As companhias de seguros a operar em Portugal lucraram 486 milhões de euros em 2018, o que corresponde a um crescimento de 50,2% face ao ano anterior.

Segundo dados divulgados esta quinta-feira para Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões (ASF), das 41 empresas de seguros sob supervisão do regulador, 32 tiveram resultados líquidos positivos.

A produção de seguro direto das companhias cresceu 12,6% para 12 mil milhões de euros. “Foi determinante tanto o acréscimo de 15,9% verificado no ramo Vida como o de 7,3% verificado nos ramos Não Vida”, diz o regulador.

O valor das carteiras de investimento das seguradoras caiu 1,4% para 50,3 mil milhões de euros. Do valor total, 42% dos fundos estão aplicados em dívida soberana e 27% em dívida de empresas.

O volume de ativos dos Planos Poupança Reforma (PPR) aumentou 3% para 17,3 mil milhões de euros, sendo que 84% estão investidos em dívida soberana e de empresas.

No caso dos fundos de pensões, os montantes geridos desceram 1,5% para cerca de 19,5 mil milhões de euros. “As contribuições para os fundos de pensões registaram um decréscimo de 34,7%, sendo que o montante dos benefícios pagos registou um aumento de 6,3%, face ao período homólogo”, diz a ASF.

“O rácio de cobertura do Requisito de Capital de Solvência do conjunto das empresas supervisionadas pela ASF, em dezembro de 2018, foi de 172%, o que representa uma diminuição de 3 pontos percentuais face ao final de 2017”, adiantou.

A cobertura do Requisito de Capital Mínimo das seguradoras desceu 17 pontos percentuais, situando-se em 516%, no final de 2018.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Balcão da ADSE na Praça de Londres em Lisboa.

( Jorge Amaral/Global Imagens )

ADSE espera devolução de 74,4 milhões de euros por privados

(João Manuel Ribeiro/Global Imagens)

Clientes com mais de 10 mil euros no BCP começam a pagar comissão

António Costa, primeiro-ministro (E), e João Leão, ministro das Finanças (D). Fotografia: EPA/MANUEL DE ALMEIDA

Rácio da dívida furou valor mais alto de sempre em junho: 133%

Lucros das seguradoras cresceram 50% em 2018