empreendedores

Seis novos embaixadores do “Portugal Sou Eu” são do Norte

Os estilistas Luís Onofre e Luís Buchinho, o jornalista Júlio Magalhães, a apresentadora Fernanda Freitas, a chef Justa Nobre e Fernando Gomes, presidente da Federação Portuguesa de Futebol, são os novos embaixadores da iniciativa “Portugal Sou Eu”.

Estas seis personalidades com ligações ao Norte de Portugal juntam-se a Cristina Ferreira, Cuca Roseta, Henrique Sá Pessoa, Carlos Coelho, Cláudia Vieira, João Manzarra e Carolina Piteira, as primeiras figuras públicas que aceitaram dar a cara pelo projeto, que visa a valorização da produção nacional.

O anúncio dos novos embaixadores do “Portugal Sou Eu” foi feito, ontem, no Porto, na Associação Empresarial de Portugal (AEP), com a presença do secretário de Estado Adjunto da Economia, Leonardo Mathias.

Aos novos embaixadores foi entregue um “documento que descreve o papel de embaixador”, que não é mais do que contribuir para tornar o “Portugal Sou Eu” num verdadeiro desígnio nacional. Foram ainda distribuídos cabazes com produtos das empresas aderentes à iniciativa.

O selo “Portugal Sou Eu” já é usado por cerca de 1735 produtos de 350 empresas, que representam um volume de negócios agregado de mil milhões de euros e empregam cerca de 6 mil trabalhadores. A maioria dos produtos certificados, 76%, são do setor alimentar.

O programa foi lançado pelo Governo, em dezembro de 2012, com o objetivo de “melhorar a competitividade das empresas portuguesas, promover o equilíbrio da balança comercial, combater o desemprego e contribuir para o crescimento sustentado da nossa economia”.

Este ano, a aposta dos responsáveis pelo programa é o reforço das ações de captação de aderentes ao selo “Portugal Sou Eu” e o reconhecimento junto dos portugueses, tendo sido lançada em fevereiro a primeira grande campanha de notoriedade e promoção da iniciativa na comunicação social.

O orçamento para o projeto é de 3,9 milhões de euros, financiados a 85% pelo Compete. A gestão do “Portugal Sou Eu” é realizada por um órgão operacional composto pela AEP, Associação Industrial Portuguesa, Confederação de Agricultores de Portugal e liderado pelo IAPMEI.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
coronavirus lay-off trabalho emprego desemprego

Empresas com quebras de 25% vão poder pedir apoio à retoma

Balcão da ADSE na Praça de Londres em Lisboa.

( Jorge Amaral/Global Imagens )

ADSE quer 56 milhões do Orçamento do Estado por gastos com isentos

Fotografia: Miguel Pereira / Global Imagens

Quase 42 mil empresas recorreram a apoios que substituíram lay-off simplificado

Seis novos embaixadores do “Portugal Sou Eu” são do Norte