Seleção parte para os EUA em ‘asas’ euroAtlantic

Companhia parte para os EUA às 17h30
Companhia parte para os EUA às 17h30

A seleção portuguesa de futebol parte esta segunda-feira às 17h30 para Newark nos Estados Unidos, onde fará a última paragem antes de iniciar o Mundial do Brasil. Para se deslocar até aos Estados Unidos, a equipa será transportada pela euroAtlantic Airways, a companhia escolhida pela Federação Portuguesa de Futebol.

A equipa voará, assim, num Boeing 767-300ER com capacidade para 200 a 300 pessoas e um raio de ação de 11.500 quilómetros. O equipamento atinge 913 quilómetros por hora e pode levar à descolagem 179.170 quilos, o ideal para voos intercontinentais.

A aterragem da equipa – que já compõe os passageiros frequentes desta companhia – em Newark está prevista para as 01h30 de Lisboa (20:30 horas locais). O primeiro treino da equipa nos Estados Unidos acontece amanhã, no centro de treinos dos New York Jets.

Nos Estados Unidos, Portugal defrontará o México na sexta-feira, em Boston (Gillette Stadium), e a República da Irlanda, a 10 de junho, em New Jersey (MetLife Stadium).

A partida da selecção portuguesa para o Brasil será feita no dia do jogo com a Irlanda, mas a estreia no Mundial só acontece a 16 de junho contra a Alemanha, em Salvador na Bahia. Logo depois, virá o jogo contra os Estados Unidos, que acontece em Manaus, a 22 de junho. Segue-se o confronto com o Gana, a 26 deste mês, em Brasília.

A euroAtlantic é uma companhia aérea charter, especializada em leasing de aviões para outras companhias aéreas, em fretamentos a operadores e em serviços de apoio operacional. Não é a primeira vez que a companhia voa para a Federação Portuguesa de Futebol.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O ministro de Estado e das Finanças, João Leão, acompanhado pelo ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos (Foto: Mário Cruz/Lusa)

Recuperar poder de decisão na TAP obriga Estado a pagar mais

Humberto Pedrosa é o acionista do consórcio Gateway.

TAP: Humberto Pedrosa realça a não nacionalização da empresa

Fotografia: Regis Duvignau/Reuters

TAP: Sindicato do Pessoal de Voo espera que acordo proteja postos de trabalho

Seleção parte para os EUA em ‘asas’ euroAtlantic