Shoppings com quebras de 21% nas vendas em outubro

Os centros comerciais portugueses estão "apreensivos" com as restrições impostas pelo Estado de Emergência, quando esperavam que a época de Natal pudesse atenuar as perdas registadas no ano.

Os 93 centros comerciais representados pela Associação Portuguesa de Centros Comerciais (APCC) registaram uma quebra de 20,9% nas vendas em outubro face ao mês homólogo de 2019, avançou a associação em comunicado. Já em setembro, a faturação dos lojistas caiu 19,7%.

A APCC vem assim defender que as restrições ao funcionamento dos shoppings, decretadas no âmbito do Estado de Emergência, "podem comprometer o desempenho deste sector que ansiava pela época de Natal como forma de atenuar as perdas de 2020".

Para a APCC, as restrições "em excesso" não se justificam, dadas as medidas de segurança implemantadas por esta indústria e "têm efeitos graves no setor", afirma António Sampaio de Mattos, presidente da APCC.

O responsável adianta que o setor aguardava que novembro e dezembro "pudessem representar uma acentuada recuperação das vendas, mas as recentes medidas de combate à pandemia, como o encerramento a partir das 13:00 horas aos fins-de-semana, fazem-nos duvidar dessa recuperação".

Segundo António Sampaio de Mattos, "a manter-se a situação, alguns centros comerciais poderão acumular prejuízos avultados e ter dificuldades no futuro próximo".

Nesse sentido, a APCC vem lembar "ao Governo e aos partidos políticos para que estejam cientes das graves consequências ao nível do emprego e da economia, que daí possam advir".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de