media

SIC segura liderança (também nas manhãs) em julho. TVI é quem mais cresce

Atriz Joana Pais de Brito a imitar Cristina Ferreira na estreia de Casa Feliz
Atriz Joana Pais de Brito a imitar Cristina Ferreira na estreia de Casa Feliz

A TVI obteve em julho o melhor share do ano. Uma subida impulsionada pelos resultados do Big Brother, o segundo programa mais visto do mês.

A SIC manteve a liderança das audiências em julho, tendo segurado a liderança das manhãs depois da saída de Cristina Ferreira para a TVI. Mas em julho foi a TVI a estação que mais viu crescer as audiências, uma subida de 0,9 pontos percentuais a reboque do Big Brother que fixou o share do canal nos 15,5%. O melhor share do ano.

Apesar da saída repentina de Cristina Ferreira a SIC fechou julho na liderança das audiências, com um share de 20,5%, sendo acompanhado em média por 442 mil telespectadores. O canal conseguiu ainda manter a liderança nas manhãs, com o programa Casa Feliz, apresentado por Diana Chaves e João Baião, a ser o mais visto no período, embora o formato da concorrente TVI nesse horário tenha visto subir as suas audiências, tendo em julho alcançado o segundo melhor mês do ano.

 

Captura de ecrã 2020-08-03, às 13.00.59

 

Se Casa Feliz chegou a ter no dia de estreia audiências superiores à média do formato apresentado por Cristina Ferreira, “no acumulado do mês, O Programa da Cristina conseguiu terminar na liderança dos programas da manhã mais vistos tendo registado uma audiência média de 470 mil telespectadores e um share de 23.2%. Seguiu-se Casa Feliz, que, em média, conseguiu manter cerca de 426 mil portugueses agarrados ao ecrã, a que correspondeu um share de 21%”,refere a agência de meios Universal McCann, do grupo IPG Mediabrands, na sua análise de audiências para o Dinheiro Vivo.

“Para Você na TV!, julho foi o segundo melhor mês do ano. O programa apresentado por Manuel Luís Goucha verificou uma audiência média de 324 mil telespectadores e um share de 16.2. Já Praça da Alegria registou uma audiência média de 199 mil telespectadores e um share de 10.3%”, diz a agência de meios.

As audiências da SIC mantiveram-se estáveis, com o mesmo share de junho. “Já a TVI alcançou o melhor resultado de share do ano (15.5%) após ter verificado uma subida de + 0.9 p.p. face a junho, alavancada pela performance dos programas relacionados com o Big Brother”, refere a UM/IPG Mediabrands.

Uma distância de 5 pontos percentuais de share e 108 mil telespectadores de audiência média separam os dois canais.

Já a RTP1 voltou a cair no seu share de audiência (menos 0.2 pontos percentuais vs. junho), terminando o mês com uma quota de 11%, a menor do ano até ao momento para o canal público.

O consumo de Outros (visionamento residual de canais não auditados, consumo diferido de dias anteriores e outras utilizações do televisor como streaming e consolas manteve-se superior ao da RTP1 em mais 2.3 p.p. de share, para 13,3% de share, sendo acompanhado por uma média de 287 mil telespectadores.

Nazaré: o mais visto em julho

A novela Nazaré destacou-se entre os programas mais vistos em julho. A segunda temporada, que arrancou em julho, terminou o mês com uma audiência média de 1.4 milhões de telespectadores e um share de 28.3%. Seguiu-se Big Brother – O Regresso, com o formato da TVI a manter, em média, cerca de 1.3 milhões de portugueses sintonizados no canal e Terra Brava, novela da SIC, que completou o Top 3 dos mais vistos com uma audiência média de mais de 1.2 milhões de telespectadores.

 

Captura de ecrã 2020-08-03, às 13.15.36

Nos canais de séries, a Fox liderou, embora tenha registado em julho a pior performance do ano, com o share a cair 0,3 pontos percentuais para um share de 1.5%. A Fox Life (0.8% de share) e AXN (0.7%) completam o top 3 dos canais de séries, seguindo a mesma tendência de quebra da Fox.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
coronavirus lay-off trabalho emprego desemprego

Empresas com quebras de 25% vão poder pedir apoio à retoma

Lisboa,  29/09/2020 - Ursula Von der Leyen, Presidente da Comissão Europeia.
(Paulo Alexandrino/Global Imagens)

“Temos de ser cuidadosos em relação à dívida, no longo prazo ela terá de descer”

ANTONIO COTRIM/ LUSA

Governo aposta no clima e competências para recuperação – mas sem empréstimos

SIC segura liderança (também nas manhãs) em julho. TVI é quem mais cresce